Adolescente do AM é o quarto no mundo a sobreviver à raiva humana, diz Susam

Jovem, da cidade de Barcelos, foi submetido a tratamento experimental responsável pela cura de outras pessoas no mundo. Dois irmãos do adolescente morreram em 2017 vítimas da doença

Sofia Lorrane / redacao@diarioam.com.br

Manaus – O adolescente de 14 anos, do município de Barcelos (a 399 quilômetros a noroeste de Manaus), internado no dia 2 dezembro de 2017 com raiva humana, teve a erradicação do vírus confirmada, nesta terça-feira (9), pela Secretaria de Estado de Saúde (Susam). Um casal de irmãos do adolescente morreu no ano passado vítimas da doença. A Susam afirmou que o jovem já é considerado o segundo sobrevivente da doença no Brasil, e o quarto no mundo.

(Susam realizou coletiva de imprensa na tarde desta terça (9), para apresentar resultados do tratamento do adolescente. Foto: Sofia Lorrane/Divulgação)

O adolescente foi submetido ao protocolo de Mileaukee – um tratamento experimental responsável por outros casos de cura da doença registrada no mundo. O uso do tratamento só pode ocorrer após autorização do Ministério da Saúde (MS).

O diretor de assistência médica da Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), Antônio Magela, afirma que o diagnóstico precoce ajudou no processo de cura do adolescente. “Antes do protocolo de Mileaukee, o tratamento se resumia em sedar o paciente e dar suporte às funções vitais. Não existia um tratamento específico. Quanto antes eu submeter o paciente à sedação e usar os medicamentos, maiores as chances, como foi o caso dele (adolescente)”, disse.

De acordo com a médica responsável pelo tratamento do paciente, Dayse Souza, apesar da erradicação do vírus, o adolescente deve seguir internado, por tempo indeterminado, para tratamento das complicações causadas pela raiva humana. Segundo a médica, o jovem vai ficar com sequelas decorrentes da medicação. Embora não tenha especificado o tipo de sequela, Dayse afirmou que pacientes com esse tipo de doença podem perder funções motoras.

“Ele ficou em coma induzido até a semana passada, fazendo o uso de dois medicamentos. Essas medicações foram tiradas com cautela, pois não podemos tirar de uma hora para outra. Foi uma retirada progressiva, usando outra medicação. Atualmente, ele está em recuperação. Foi uma vitória mesmo, mas ele apresenta sequelas da doença”, disse a médica.

Na tarde desta terça, o pai do adolescente, Levi Castro, se emocionou ao falar do filho. Ele ressaltou que é inexplicável a sensação de ver que o adolescente venceu a doença. “Eu tenho ele como um presente de Deus, para aliviar a perda dos outros dois que se foram. Eu atribuo isso tudo a Deus, porque ele com 98% de morte cerebral conseguiu se recuperar. É inexplicável essa alegria. Eu digo para ele que o pior já passou. E temos certeza que ele vai sair dessa”, destacou.

A Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) reforçou a distribuição de sorovacinação nas comunidades na região do Rio Unini, onde está localizado o município de Barcelos. Até o momento, cerca de 561 pessoas já foram vacinavas com as três doses do remédio. No total, foram enviados para a Secretaria Municipal de Saúde de Barcelos (Semsa-Barcelos), 3.100 doses da vacina antirrábica humana, no ano passado.

Transmissão

Os casos da doença em Barcelos foram transmitidos por mordidas de morcegos. Na região, é comum a incidência de mordidas do animal. A doença pode ser transmitida pelo contato com a saliva de animais infectados, durante uma mordida ou um arranhão profundo. De acordo com o pai das crianças infectadas, Levi Castro, os três foram mordidos por morcegos. “Eles foram mordidos e eu também fui, mas Deus não quis que eu pegasse a doença, pelo menos, não agora”, disse.



SIGA-NOS NAS NOSSAS REDES