Campanha nacional de vacinação contra a pólio e o sarampo começa nesta segunda

A meta do Ministério da Saúde é imunizar mais de 11 milhões de crianças com idade entre 1 ano e menores de 5 anos contra a poliomielite e o sarampo. No AM, são mais de 300 mil

Da Redação / redacao@diarioam.com.br

Manaus – A Campanha Nacional de Vacinação contra a poliomielite e o sarampo começa, nesta segunda-feira (6), em todo o País. A meta é imunizar mais de 11 milhões de crianças com idade entre 1 ano e menores de 5 anos, público mais suscetível a complicações de ambas as doenças. No Amazonas, mais de 300 mil crianças precisam tomar a dose da tríplice viral e a vacina contra a poliomielite. O Amazonas e Roraima são as únicas localidades que iniciam a vacinação contra o sarampo a partir dos 6 meses, no restante do País a 1ª dose é aplicada com 1 ano de idade.

Dentro da campanha, haverá o Dia D da Vacinação, em 18 de agosto (Tomaz Silva/Agência Brasil)

O Dia D de Mobilização Nacional foi agendado para 18 de agosto, um sábado, mas a campanha segue até o dia 31 de agosto.

De acordo com o Ministério da Saúde, foram adquiridas 28,3 milhões de doses de ambas as vacinas – um total de R$ 160,7 milhões. Todos os Estados, segundo a pasta, já estão abastecidos com 871,3 mil doses da Vacina Inativadas Poliomielite (VIP), 14 milhões da Vacina Oral Poliomielite (VOP) e 13,4 milhões da Tríplice Viral, que protege contra o sarampo, a rubéola e a caxumba.

Este ano, a vacinação será feita de forma indiscriminada, ou seja, todas as crianças dentro da faixa etária estabelecida serão imunizadas – mesmo as que já estão com o esquema vacinal completo. Neste caso, a criança vai receber um outro reforço. A campanha ocorre em meio a pelo menos dois surtos de sarampo no Brasil, em Roraima e no Amazonas. No caso da pólio, 312 municípios registram baixas taxas de cobertura vacinal contra a doença.

Região Norte

O Amazonas tem uma, das cinco mortes registradas no País por sarampo. Justamente em uma criança de 7 meses, idade abaixo do que recomenda o Ministério da Saúde para imunização. Na capital, a cada 100 mil habitantes, 391,5 casos confirmados ocorreram em crianças menores de 1 ano, conforme dados da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).

Desde março e abril, o Amazonas e Roraima são alvo de uma mobilização de vacinação por conta do surto de sarampo nos dois Estados, mas a cobertura vacinal no Amazonas mostrou que somente 61% do público-alvo está livre da doença, segundo o Ministério da Saúde.

Já na capital, a pré-campanha contra o sarampo está avançando em todas as zonas. A zona norte da capital passou a ser, com 88,38%, a que possui menor cobertura.

Para evitar que a doença continue se espalhando, o Ministério da Saúde providenciou uma barreira sanitária na fronteira com a Venezuela.

No caso da poliomielite, apenas 65% das crianças amazonenses estavam protegidas, segundo o MS. Os especialistas alertam para a atenção no caso da poliomielite, uma doença de efeito rápido, que tira os movimentos, em até três dias.

Foco são as crianças, mas adultos podem ser imunizados

A campanha de vacinação do Ministério da Saúde ocorre entre 6 e 31 de agosto, com o Dia D agendado para 18 de agosto, em postos de saúde de todo o País.

Público
O foco da campanha são crianças com idade entre 1 ano e 5 anos incompletos (4 anos e 11 meses). Crianças que já foram vacinadas anteriormente devem ser levadas aos postos. Quem estiver com o esquema vacinal incompleto receberá as doses necessárias para atualização e quem estiver com o esquema vacinal completo receberá outro reforço.

Crianças que nunca foram imunizadas contra a pólio vão receber a Vacina Inativada Poliomielite (VIP), na forma injetável. Crianças que já receberam uma ou mais doses contra a pólio vão receber a Vacina Oral Poliomielite (VOP), na forma de gotinha.

Sarampo
A vacina contra o sarampo usada na campanha é a tríplice viral, que protege também contra a rubéola e a caxumba. Todas as crianças na faixa etária estabelecida vão receber uma dose da tríplice viral, independentemente de sua situação vacinal, desde que não tenham sido vacinadas nos últimos 30 dias.

Adultos
Mesmo não sendo foco da campanha, adultos precisam tomar as doses. Adultos com até 29 anos que não tiverem completado o esquema na infância devem receber duas doses da tríplice viral e adultos com idade entre 30 e 49 anos devem receber uma dose da tríplice viral.