Prefeitura alerta para riscos à saúde causados pelas queimadas urbanas

Asma, bronquite, sinusite e rinite, nariz entupido, rouquidão, tosse alérgica, conjuntivites, além de doenças cardiovasculares, estão entre os problemas mais frequentes

Com informações da assessoria / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Asma, bronquite, sinusite e rinite, nariz entupido, rouquidão, tosse alérgica, conjuntivites, irritação nos olhos e garganta, alergia e vermelhidão na pele, além de doenças cardiovasculares, estão entre os problemas mais frequentes na saúde em decorrência da fumaça. Comprovadamente os meses com maior incidência de registros de focos de queimadas são setembro e outubro, e a Prefeitura de Manaus está intensificando as ações de combate às queimadas nas áreas urbana e rural da capital.

Uma área de vegetação que fica em um terreno do Serviço Social da Indústria (Sesi), na zona leste, foi atingida por um incêndio nesta segunda (Foto: Jucélio Paiva/Divulgação)

Segundo a médica Caroline Cordeiro de Amorim, da Unidade Básica de Saúde (UBS) O-36, localizada no Alvorada, zona centro-oeste, as queimadas acarretam mudanças climáticas que acabam alterando o equilíbrio entre saúde e doença.

“A fumaça produzida em queimadas afeta diretamente a vida da população das áreas onde elas ocorrem, sejam crianças, adultos ou idosos. Os extremos de idade são os que mais sentem esses efeitos. Nas queimadas, são emitidos diversos poluentes que são tóxicos e agravam a saúde da população. Se as queimadas forem próximas de estradas ou cidades, podem até ocasionar graves acidentes”, alerta Caroline.

Para conscientizar a população sobre os malefícios à saúde do homem, assim como dos impactos no meio ambiente, a Semmas realiza, todos os anos, a Campanha de Combate às Queimadas (Foto: Marinho Ramos/Semcom)

Para conscientizar a população sobre os malefícios à saúde do homem, assim como dos impactos no meio ambiente, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) realiza, todos os anos, a Campanha de Combate às Queimadas. A ação consiste em ações de rua, com abordagens em localidades situadas nas zonas com maior incidência de casos, e no atendimento das denúncias recebidas.

De janeiro até o dia 15 de setembro deste ano, a Semmas contabilizou 249 denúncias de focos, com predominância de ocorrências nas zonas norte e leste de Manaus, com 87 e 58 registros, respectivamente. As demais denúncias estão distribuídas nas zonas Centro Oeste (25), Centro-Sul (37), Sul (27) e Oeste (15).

“O desafio maior é atender às demandas que chegam na secretaria por meio das denúncias, que podem ser feitas pelo 0800-092-2000 ou pelos diversos canais de comunicação disponibilizados pelo órgão, mas o importante é sensibilizarmos a população a não cometer esse ato tão prejudicial à saúde humana e ao meio ambiente”, ressaltou o secretário municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Antônio Nelson de Oliveira Júnior.

Este ano, a campanha iniciou suas atividades em julho, com uma corrida simbólica no Parque Municipal do Mindu, para chamar atenção para a importância da preservação ambiental. De lá pra cá, ações educativas e de fiscalização vêm sendo realizadas, visando reduzir o impacto das queimadas nas diversas áreas da cidade, como em terminais de ônibus, feiras, shoppings populares, rotatórias e cruzamentos da cidade.

Cuidados

· Evitar ficar próximo de lugares onde estejam ocorrendo queimadas, caso isso não seja possível, denunciar para órgãos competentes;

· Hidratar bastante, principalmente crianças e idosos;

· Umidificar o ambiente de casa e/ou do trabalho;

· Em caso de urgência ou emergência, procurar ajuda médica ou Serviço Móvel de Urgência – Samu 192 Manaus.