Samel amplia investimentos para oferecer maior estrutura de serviços nas unidades

A nova unidade passa a compor um complexo no Centro, com dois hospitais e três pronto-socorros

Beatriz Gomes/redacao@diarioam.com.br

O grupo emprega 600 funcionários e 200 médicos prestadores de serviço (Foto: Raquel Miranda)

Manaus – Com a expectativa de aumentar em até 40% os atendimentos, o grupo Samel se prepara para inaugurar mais um hospital, em Manaus, no dia 30 de agosto. A nova unidade passa a compor um complexo de saúde no Centro da capital, com dois hospitais e três pronto-socorros. O grupo emprega 600 funcionários e 200 médicos prestadores de serviço.

Os prédios serão integrados por meio de uma passarela climatizada, com extensão de 68 metros e passagem de até duas macas simultaneamente. Os pacientes poderão ser transportados da nova unidade hospitalar ao Hospital Samel com conforto e segurança . O investimento na nova estrutura foi de aproximadamente R$ 12 milhões, de acordo com o presidente da operadora, Luis Alberto Nicolau.

“Vamos aumentar a capacidade em 40% no atendimento com as novas instalações, tanto em nível de internação quanto de ambulatório, exames, e consultórios. Além disso, todas as novas instalações são mais modernas, com materiais de qualidade, modelos de prontuários eletrônicos mais atuais, chamadas inteligentes de enfermeiras, marcação de consultas, aparelhos com alta tecnologia, que é o que estamos buscando”, explicou Nicolau.

Cerca de 30 mil clientes fazem parte do plano de saúde da Samel (Foto: Divulgação)

O novo hospital possui sete andares, com 3 mil metros quadrados de área construída, 43 leitos, um andar exclusivo com modernas salas cirúrgicas, dois andares exclusivos para 22 consultórios, laboratórios e área de exames.

“Toda a parte ambulatorial vai sair do hospital da frente e vem pra cá, em três andares e os outros quatro andares de hospital. Queremos atender os nossos pacientes e clientes com cada vez mais qualidade conforto e segurança em um prédio sustentável. Também estamos alinhando o patrimônio histórico com a modernidade”, disse o presidente.

A unidade terá 100% da iluminação em LED e vai gerar pelo menos 40% da energia por meio de painéis fotovoltaicos, instalados na cobertura. Reaproveitamento da água, ar-condicionados inteligentes, controle de pressão de água e tratamento de efluentes também fazem parte da nova estrutura.

Mercado

Atualmente, o plano de saúde da Samel atende cerca de 30 mil pessoas, que são direcionadas para as suas estruturas próprias. “Mensalmente, atendemos um terço dos nossos clientes e os outros dois terços são dos outros planos parceiros”, explica o executivo.

Com a crise, Nicolau afirma que houve uma queda de, pelo menos, 20% nos atendimentos. “O impacto no distrito industrial afetou todos os planos de saúde e a retomada tem sido lenta, mas a expectativa é de melhora”, ressaltou. “Vemos as empresas contratando temporários, mas isso não impacta nos planos de saúde”, destaca o presidente. “Apesar da retração, mantivemos os nossos funcionários”, disse.

Com relação à competitividade com outros planos de saúde de fora do Estado, o executivo destaca a qualidade. “Nós queremos fazer coisa boa, o hospital possui creditação hospitalar, tem ISO 14 mil, fixação segura da 3M, nossa esterelização toda da Johnson, tecnologias caras. A gente não quer fazer volume, mas coisas de qualidade”, disse. “Nossos investimentos são de longuíssimo prazo”.

A Samel foi constituída em 20 de novembro de 1981, sendo uma empresa privada de sociedade por quotas de responsabilidade limitada com sede e foro em Manaus. Possui estruturas próprias composta por dois Hospitais, Maternidade, pronto Atendimento Adulto, Infantil e obstétrico, laboratório, UTI Adulto e UTI pediátrico, UTI Neonatal, Centro de Diagnóstico por imagem com atendimento 24 horas, além de um Centro Médico localizado na zona leste.

O grupo também se prepara para em um ano e meio inaugurar uma nova estrutura no bairro Aleixo, zona centro sul de Manaus. O projeto do novo prédio será apresentado durante a inauguração da unidade do centro. “Os dois juntos acredito que terão o maior número de leitos de Manaus”, destaca Nicolau.