Adutora rompe e afunda trecho da Avenida Torquato Tapajós, em Manaus

O problema aconteceu no sentido bairro/Centro da pista, em frente ao Clube Municipal. Laudo técnico vai apontar os responsáveis

Manaus – A Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) atuou neste sábado (5) de maneira emergencial no rompimento de uma adutora na Avenida Torquato Tapajós, sentido bairro/Centro, em frente ao Clube Municipal, o que pode ter causado o afundamento da pista. O trabalho foi acompanhado pelo vice-prefeito de Manaus, Marcos Rotta, e parte da equipe técnica da Seminf.

De acordo com Rotta, que é secretário municipal de Infraestrutura, apesar de inicialmente ter sido constatado que o problema foi causado por falhas na rede da concessionária Águas de Manaus, um laudo técnico mais aprofundado será elaborado para apontar os responsáveis.

“Infelizmente mais uma fatalidade em uma das principais vias de Manaus. A princípio ficou constatado que aqui seria um problema ocasionado pela concessionária de água, mas como temos uma adutora, um tubo da nossa rede de drenagem e tubulação da Oi, achamos por bem chamar um perito para identificar a causa”, explicou o vice-prefeito.

Rotta e a equipe técnica da Seminf atuam em parceria com as concessionárias que possuem tubulações no local para que uma solução seja dada para a via o mais breve possível.

“A determinação do prefeito David Almeida é que, nesse momento, a gente não procure responsabilizar ninguém, mas acima de tudo busque fazer um trabalho com todas as concessionárias envolvidas junto à Seminf, para que a gente possa resolver o problema e devolver a Torquato sem interdições para o tráfego o mais breve possível”, explicou.

Prevenção

Marcos Rotta fez questão de lembrar que a prefeitura tem atuado de maneira preventiva nas redes de drenagem de toda a capital para evitar transtornos, como os que aconteceram recentemente na própria Torquato Tapajós e na Avenida João Valério, causando prejuízos à população.

“A Seminf, de janeiro até os primeiros dias de junho, já substituiu mais de 300 redes de drenagem em toda a cidade para evitar esse tipo de situação. A orientação do prefeito é de que a gente não resolva problema e sim se antecipe a eles. Mas não adianta a prefeitura seguir essa política se a concessionária de água, por exemplo, não tiver o mesmo objetivo. Essa é uma rede nova que se soltou, não foi rompida. A Ageman e a Unidade Gestora de Águas da Seminf vão acionar a empresa para que adote uma política com padrão de qualidade exigido pela cidade de Manaus”, concluiu o vice-prefeito.

Anúncio