ALE intervém e greve de médicos é suspensa

Reunião, nesta quinta-feira (31), de um grupo de deputados estaduais com os profissionais da saúde, manteve aberta negociação com o Governo do Amazonas para pagamentos de atrasados

Manaus – Após reunião entre um grupo de deputados estaduais com representantes das empresas médicas prestadoras de serviços terceirizados contratadas pela Secretaria de Estado de Saúde (Susam), na tarde desta quinta-feira (31), os representantes de 14 empresas médicas se reuniram na sede do Conselho Regional de Medicina (CRM) e descartaram a paralisação do serviço.

Representantes dos médicos e deputados estaduais se reuniram na tarde desta quinta-feira (31). (Foto: Hudson Fonseca/Aleam Divulgação)

Os profissionais anunciaram quais medidas serão tomadas em relação ao não cumprimento do acordo realizado no último dia 24 de janeiro, onde a Secretaria de Estado de Saúde (Susam) se comprometeu em efetuar o pagamento proporcional de alguns dos meses em atraso, até esta quinta. O montante era de R$ 65 milhões.

Segundo o presidente do Instituto de Cirurgia do Estado do Amazonas (Icea), José Francisco dos Santos, uma manifestação será feita de forma organizada e sem interferência no atendimento aos cidadãos. “A manifestação respeitará o princípio do direito do cidadão de ser atendido em qualquer unidade que ele esteja, em momento algum deixaremos desassistida a população”, disse.

Além do Icea, a manifestação terá apoio de outras cooperativas médicas, como a Cooperativa Amazonense de Pediatria (Cooap), Cooperativa Pediátrica de Assistência Neonatal do Amazonas (Coopaneo), Instituto de Traumato Ortopedia do Amazonas (Itoam), Cooperativa dos Anestesiologistas do Amazonas (Coopanest), Instituto de Terapia Intensiva do Estado do Amazonas (Coopati), Instituto de Medicina (Imed), Cooperativa De Clínica Médica Do Amazonas (Cooperclim), União Vascular De Serviços Médicos Limitada – Me (Univasc), Instituto de Ginecologia e Obstetrícia do Amazonas (Igoam), Nefrologistas Associados do Amazonas (Uninefro), Cardiobaby, CNA e Sati.

O presidente do Icea ainda afirmou que não atribui a atual gestão estadual à falta de cumprimento nos pagamentos anteriores, mas que espera uma solução quanto aos pagamentos dos profissionais de saúde e condições de atendimento para os cidadãos amazonenses.

Assembleia

No encontro com nove deputados estaduais, os médicos pediram que eles levassem ao governo do Estado uma proposta para definição do calendário dos pagamentos deste ano e que caso haja possibilidade de um novo remanejamento do Fundo de Fomento ao Turismo, Infraestrutura, Serviços e Interiorização do Desenvolvimento (FTI), a exemplo do que ocorreu no ano passado na gestão de Amazonino Mendes, que o governo assegure que 100% dos recursos financeiros sejam destinados a liquidar os pagamentos em atraso das terceirizadas com recursos humanos.

Anúncio