Alimento no carnaval é alvo da Visa Manaus

Além de inspecionar pontos de venda de comidas e bebidas, os fiscais irão coletar amostras de alimentos para análise laboratorial e, ainda, avaliar as condições dos serviços móveis de saúde

Manaus – A qualidade dos alimentos comercializados no Centro de Convenções de Manaus, o Sambódromo, na zona centro-oeste, e nos eventos de Carnaval de rua é o alvo das fiscalizações programadas pela Vigilância Sanitária municipal (Visa Manaus) desde esta quinta-feira (20). Além de inspecionar pontos de venda de comidas e bebidas, os fiscais do órgão irão coletar amostras de alimentos para análise laboratorial e, ainda, avaliar as condições dos serviços móveis de saúde, colocados à disposição da população durante os desfiles.

Treze fiscais da Gerência de Vigilância de Produtos integram as equipes responsáveis pelo trabalho, que será realizado a partir do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), até a próxima segunda-feira (24). “A vigilância faz parte do planejamento da Prefeitura de Manaus para garantir segurança à saúde durante o Carnaval”, ressaltou o secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi. Ele acrescentou que as fiscalizações são a etapa final do trabalho iniciado pela Visa em dezembro do ano passado, com o cadastro de eventos e a orientação sanitária.

Treze fiscais farão a operação até a próxima segunda-feira, 24 (Foto: Divulgação/Visa Manaus)

As vistorias no Sambódromo e nas bandas e blocos de rua vão seguir um roteiro padrão de verificação de qualidade na manipulação, conservação e venda dos alimentos. “Os fiscais estarão em campo desde o início das atividades, verificando as barracas, orientando os responsáveis e, quando necessário, cobrando providências”, informou a diretora da Visa, Maria do Carmo Leão.

A gerente de Vigilância de Produtos do órgão, Hellen Souza, explica que durante as inspeções serão avaliados itens como o cuidado com a estrutura dos pontos de venda (fiação elétrica, limpeza e organização), equipamentos e utensílios (adequação e limpeza), condições do alimento (higiene dos recipientes, manuseio e refrigeração adequada), higiene pessoal de quem manuseia os produtos e o descarte de resíduos.

Ainda segundo ela, se forem identificadas irregularidades, os fiscais podem orientar para a correção imediata do problema, e em casos graves, autuar os responsáveis ou interditar o serviço, se houver risco iminente à saúde.

Além de vistoriar o local, as equipes de vigilância irão colher amostras dos alimentos, que passarão por análise microbiológica.

Anúncio