Alunos da Fucapi cobram retorno das aulas e salários atrasados de funcionários

Protesto aconteceu na noite desta segunda (28). Além da falta de aula e salários dos funcionários atrasados, os alunos relataram que não estão conseguindo acessar mais o site da instituição

Manaus – Cerca de cinquenta alunos da Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação Tecnológica (Fucapi) fizeram um protesto, na noite desta segunda-feira (28), para cobrar o retorno das aulas e oito meses de salários atrasados de professores e colabores da instituição.

Conforme apuração do Ministério Público do Estado (MPAM), CEO da Azione Educação, Aldous Santana, possuía dívidas em fase de cobrança judicial superiores a R$ 190 mil. (Foto: Jucélio Paiva)

O ato aconteceu pouco mais de um mês, após o CEO da Azione Educação, Aldous Santana, assumir a Fucapi. No dia 5 deste mês, a REDE DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (RDC) publicou, conforme apuração do Ministério Público do Estado (MPAM), que Aldous possuía dívidas em fase de cobrança judicial superiores a R$ 190 mil.

Além da falta de aula e salários dos funcionários atrasados, os alunos relataram que não estão conseguindo acessar mais o site da Fucapi para imprimir boletos ou ter acesso a conteúdos.

Joas Pinheiro, aluno do 9.º período do curso de administração, relatou que desde a semana passada vinha cobrando respostas da coordenação, que suspendeu as aulas para todos os curso nesta segunda-feira, após ser comunicada da manifestação. “É só mentira que a gente escuta. Eles sempre falam que o dinheiro dos professores ‘vai cair’, ‘vamos pagar os professores dia tal’, e dia tal, nada. Site não funciona, não geram boletos, não conseguem operar absolutamente nada. Não tem material de expediente, não tem folha para imprimir prova”, disse.

Aluno de engenharia de software, Akimysson Assunção, 24, disse que a nova administração da Fucapi não está liberando a grade dos estudantes para outras instituições. “O MEC (Ministério da Educação) precisa ver isso e fazer alguma coisa”, disse.

A BK investimentos, empresa que o CEO da Fucapi anunciou em abril deste ano como a financiadora de R$ 50 milhões para a Azione administrar a fundação, tem sede em Dubai, nos Emirados Árabes. Porém, uma funcionária que pediu para ter o nome preservado, e que confirmou estar há oito meses sem receber salários, relatou que até agora, nenhum valor foi investido na instituição.

“Eles fazem reunião três vezes por semana e disseram que iriam fazer um empréstimo, que iriam pagar a gente tal dia; mas quando chega no dia não pagam. ‘Ah, porque o investidor de Dubai liberou o dinheiro e tal dia vocês vão receber’. Mentira. Não tem investidor nenhum, porque não aparece dinheiro”, reclamou.

A reportagem foi até a coordenação da Fucapi para tentar falar com o CEO Aldous Santana, mas ele não foi localizado no local.