AM é o 2º em diagnósticos de câncer de colo de útero

Em taxa bruta de incidência, sendo o número de casos para cada 100 mil mulheres, o Amazonas perde apenas para o Tocantins. O Estado com o menor número de casos é São Paulo

Manaus – Considerado o principal causador dos cânceres de colo uterino e pênis, o Papilomavírus Humano (HPV) está em evidência neste mês, por conta do movimento estadual Março Lilás e o Amazonas está em segundo lugar no número de casos de câncer de colo de útero no País, em taxa bruta de incidência (número de casos para cada 100 mil mulheres), perdendo apenas para o Tocantins, se consideradas as 27 unidades federativas. Ambos estão situados no Norte do País.

São aguardados 27,60 novos diagnósticos para cada 100 mil mulheres no AM (Foto: Divulgação/Lacc)

A última projeção do Instituto Nacional do Câncer (Inca), subordinado ao Ministério da Saúde (MS), mostra que são aguardados 27,60 novos diagnósticos para cada 100 mil mulheres no Amazonas. Em Tocantins, esse número é de 27,90. O Estado com o menor número de casos projetados é São Paulo, com 9,61 para cada grupo.

Quando se trata das macrorregiões, o Norte também lidera a projeção, com uma taxa bruta de incidência prevista de 21,20 casos para cada 100 mil mulheres. Em seguida vem o Nordeste, com 17,62 diagnósticos. As duas regiões são as que apresentam os menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDHs), segundo estudo de 2010, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o que demonstra a relação das classes menos favorecidas com a doença, já que o IDH é medido através de indicadores da educação, renda e longevidade.

O câncer de colo uterino tem como principal causa, a infecção por HPV. Apesar de ter mais de 100 subtipos, uma pequena parte deles é considerada de alto risco e oncogênica. São esses que podem levar ao desenvolvimento do câncer, se as lesões precursoras não forem tratadas a tempo.

O cirurgião oncológico e membro da Lacc, Manoel Jesus Pinheiro Júnior, destaca que o HPV é 100% prevenível. “As principais formas de prevenção são a realização anual do Papanicolaou por mulheres em idade reprodutiva e a vacina contra o HPV, que é fornecida gratuitamente pela rede pública, a meninos e meninas em idade escolar”, assegurou.

O especialista também explica que, em caso de desenvolvimento do câncer, o diagnóstico precoce ainda é o melhor caminho.

Anúncio