AM registra casos de reinfecção por Covid

Pandemia no Amazonas mostra mais uma faceta do vírus da Covid com o retorno dos sintomas em pacientes que já foram acometidos da doença, em meio ao aumento do número de casos no Estado

Manaus – Casos de reinfecções por Covid-19 já são uma realidade no Amazonas. Exames de uma amazonense comprovam reinfecção no início do mês de outubro, cinco meses após primeira infecção pelo vírus.

A autônoma, Andriele Freitas de Lima, 29, contou com exclusividade ao GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (GDC), sobre o caso.

“Dia 27 de abril, eu comecei a sentir os sintomas, gripe, dor de cabeça, dor no peito e o cansaço, fui em vários UBS e hospitais, fiz o exame, testei positivo e tomei as medicações. Após um mês eu ainda estava positiva, em fase de transmissão e foi quando agravou os sintomas, sinusite, começo de asma, pneumonia, tudo consequência do coronavírus”, explicou.

O governo do Estado nega estar ocorrendo uma segunda onda do vírus, mas leitos de UTI já estão com 98% de ocupação (Foto: Orlando Jr./Secom)

Segundo Adriele, os sintomas duraram cerca de três meses e ela se recuperou. Agora, no início de outubro, ela novamente começou a sentir os sintomas da doença. “Dia 5 de outubro comecei a sentir novamente os sintomas, como gripe, muita tosse e diarreia. No seguindo dia de sintomas fiz o teste e deu positivo novamente e estou tomando todos os medicamentos recomendados. Esse vírus é real, eu testei duas vezes para Covid-19, minha avó que já havia sido contaminada, também está com os sintomas e testou positivo em outubro”, disse.

Um médico de Parintins, Daniel Tanaka, relatou em suas redes sociais sua reinfecção por coronavírus. Tanaka voltou a ser internado, mas nesta vez apresentou sintomas mais severos do novo coronavírus.

UTI´s têm ocupação de 98% em Manaus indicando alta nos casos

O governo do Estado nega estar ocorrendo uma segunda onda do vírus, no entanto, leitos de UTI no Hospital e Pronto-Socorro Delphina Abdel Aziz, referência para tratamento contra Covid-19 no Amazonas já estão com 98% de ocupação.

O número de internações, registrado no último domingo (25), se aproxima do pico de internações que o hospital atendeu durante a pior fase da pandemia nos meses de abril e maio. Em planilha divulgada pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), o Hospital Delphina Aziz tinha, até o domingo, 35 leitos de UTI ocupados, sobrando apenas dois para novos pacientes com Covid, subindo a taxa de ocupação para 94%. Os leitos de UTI para outras doenças estão com 100% de ocupação, sendo 53 internações.

De acordo com o matemático, Alexander Steinmetz – membro da equipe de pesquisadores que coordenou o estudo “Curva de Contaminação Covid-19 – Estado do Amazonas” – já estamos vivendo uma segunda onda da doença. “Está bastante claro que estamos, sim, vivendo uma segunda onda de Covid-19 em Manaus. Vemos, também, que essa onda não é como a primeira (onda) de abril e maio. Não estamos vendo um crescimento explosivo e vertiginoso no número de infecções e óbitos que vimos antes. A segunda onda é um crescimento mais devagar, mas estamos chegando numa situação dramática com a quase lotação das UTI’s em Manaus”, disse.

Nesta segunda-feira (26), o número de mortes pelo novo coronavírus contabiliza 4.660 mil. Na capital, de acordo com dados da Prefeitura de Manaus, apenas no domingo foram registrados 23 sepultamentos e seis óbitos em domicílio.

Ainda nesta segunda, o boletim diário da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas divulgou mais 344 casos de Covid-19, segundo a FVS-AM, a maioria dos casos são antigos que podem ter ocorrido no pico da pandemia. No total o amazonas tem confirmado 157,668 mil casos da doença no Estado.

Apesar do aumento dos casos de Covid-19 no Amazonas, o governo do Estado mantém a fala de não estarmos passando pela 2ª onda da doença, que já é vista e comprovada em outros países que foram atingidos antes do Brasil, como Austrália, Japão e Europa.

Anúncio