Amazonas Energia acumula reclamações de consumidores

Denúncias envolvem desrespeito, destruição de fibra ótica e até intimidação

Manaus  – Consumidores da Concessionária Amazonas Energia que moram no Bairro Parque 10, zona centro sul de Manaus, denunciam a forma como os funcionários da empresa estão tratando as famílias. As reclamações começaram após a Amazonas Energia iniciar a instalação dos novos equipamentos que irão medir o consumo de energia nas residências. Agora os medidores são colocados no lugar mais alto dos postes com a fiação ligada às residências ou comércios, eliminando os medidores convencionais e dificultando o furto de energia.

(Foto: Reprodução)

A comerciante Sérvola Bezerra vende alimentos em um ponto alugado na Rua 23, e depende da energia elétrica principalmente para os serviços de entrega, mas o prazo dado pela Concessionária para a troca do equipamento ultrapassou as 24h.

“Eles passaram um Aviso, dizendo que a gente ia passar bem dizer quase um dia sem energia. Isso não aconteceu. Como a gente trabalha com comércio, aqui é mais a parte de Delivery, a gente ficou dois dias tendo que ir pra um outro local pra poder pegar internet porque eles arrancaram os fios, deixaram os nossos fios “tudo” jogado e a gente perdeu nosso delivery todinho do final de semana”, disse a comerciante Sérvola Bezerra .

“A minha placa estava no poste, eles não tiveram sequer a coragem de chegar e avisar: A Senhora vai querer sua placa? não. Eles chegaram, arrancaram com tudo a placa, levaram, rasgaram. Pra mim recuperar minha placa tão cara que a gente comprou com sacrifício e até hoje minha placa “tá” por aí toda quebrada, toda arrancada”, afirmou a comerciante Sérvola Bezerra.

Além do problema causado pela Amazonas Energia na Rua 23 do Parque 10, outra denúncia também séria poderá custar a vida de algum pedestre. É que muitos dos fios ainda ligados à fiação foram deixados pendurados pela concessionária e podem causar acidentes. Para os moradores do conjunto Parque 10, a Amazonas Energia só tem um propósito: Prejudicar a comunidade.

blank

(Foto: Reprodução)

“Os fios arrancados jogados há mais de 30 dias sem darem uma posição quer dizer: O consumidor a pessoa que paga a sua conta, os seus serviços, ela tem que estar ligando humilhadamente, duas, três, quatro, cinco vezes “pra” que eles se disponham ou que eles se proponham a vir refazer o serviço e depois venha acrescido a conta”.

Ainda segundo o morador, há um consenso geral de prejudicar a todos.  “Já estão dizendo que outras ruas onde foi implantado esse sistema, a energia triplicou a conta, o que era 200, ficou 800,900, 1000 sem uma justificativa. Pergunto eu aos órgãos: é difícil fazer, eu falei com Dr Otávio Gomes que é lá do ministério público ele disse: Vocês tem que se reunir, entrar no Ministério Público porque é um direito do consumidor de ter alguém que defenda porque são cobranças absurdas e estratosféricas entendeu então o povo não pode pagar por um erro. E as outras zonas? E os bairros de invasão? As periferias que lá a gente vê o emaranhado de gatos nos postes, ninguém é cobrado disso, ninguém é taxado pra colocar esse sistema lá por quê?”, afirmou Luiz Felipe Pontes morador do local.

Anúncio