Amazonas já amarga segunda onda de Covid

Estudiosos voltam a afirmar que Manaus e interior atravessam segunda onda de casos da doença. FVS-AM reconhece pandemia e cita aumento na média dos casos de internações

Manaus – Por conta dos constantes casos de mortes e novas infecções causadas, diariamente, pelo novo coronavírus em Manaus e no interior, renomados pesquisadores ouvidos nesta quarta-feira (16) pelo GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (GDC) apontaram que o Amazonas já atravessa a segunda onda da Covid-19. De acordo com o cientista Lucas Ferrante, doutorando do programa de Biologia (Ecologia) do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) e que tem diversos artigos publicados em revistas científicas como o caso da Nature Medicine, a situação é grave.

(Foto: Divulgação)

“Nós avisamos sobre a segunda onda em Manaus desde o dia 7 de agosto. Em um artigo publicado na Nature Medicine, eu outros sete autores de diferentes instituições avisamos pela primeira vez sobre a segunda onda. No dia 4 de setembro eu e outros pesquisadores, nos reunimos com procuradores do MP-AM e apresentamos os modelos epidemiológicos da segunda onda, além de apontar inconsistências graves nos boletins diários da FVS. No dia 11 de setembro refizemos uma reunião com os procuradores do MP, desta vez com a participação da FVS onde apontamos as falhas dos boletins, sendo estas falhas admitidas pela própria diretora da FVS. Fica claro nesse momento a necessidade de tomar medidas mais rígidas de isolamento sociais e necessidade eminente de suspensão das aulas presenciais.”, alerta Ferrante.

Já a FVS disse que a pandemia continua, mas que os indicadores monitorados pela Fundação apontam uma desaceleração no número de casos e um movimento de alta das internações pela doença.

Mas ainda ontem, um áudio divulgado nas redes sociais dava conta de que nos bastidores a própria FVS já reconhece que o Estado enfrenta a segunda onda. “A FVS já considera o início de uma segunda onda. Vamos redobrar as precauções. Aquele anúncio que o Governo está fazendo que o Delphina ia voltar a atender todas as especialidades, ia voltar cirurgia, mudou tudo. Vamos, inclusive, aumentar mais leitos de UTI para receber Covid-19”, diz uma servidora do Hospital e Pronto-Socorro Delphina Aziz.
Ainda sugundo a FVS, atualmente, há uma taxa de ocupação de 47,4% nos leitos de UTI e 46% dos leitos clínicos destinados à Covid-19 na rede pública, e 72,8% dos leitos de UTI e 67% de leitos clínicos na rede privada. Os dados de notificação registram um aumento da ocupação em 6% nos leitos públicos de UTI e 10% nos leitos privados. Nos leitos clínicos, houve um crescimento de 20% de ocupação na rede pública e 30% na rede privada.

Dados

O boletim da FVS divulgado nesta quarta (16), confirmou 701 novos casos de Covid-19, totalizando 128.851 casos da doença no Estado, além de mais sete óbitos ocorridos nas últimas 24 horas, elevando para 3.920 o total de mortes.

Anúncio