Amazonas tem 322 vagas no programa Mais Médicos

As inscrições começam hoje para vagas de médico da família no interior do Estado e nos Distritos Sanitários Especiais Indígenas. O novo edital visa substituir os médicos cubanos

Manaus – O novo edital do programa Mais Médicos amplia em 10% o número de vagas para o Amazonas. As inscrições começam nesta quarta-feira (21) para o preenchimento de 322 vagas de médico da família no interior do Estado e nos Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI). O novo edital visa substituir os médicos cubanos, que anunciaram a saída do programa em decorrência das declarações do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL). Os salários são de quase R$ 12 mil.

Os salários pagos aos profissionais são de quase R$ 12 mil, (Foto: Eraldo Lopes/RDC)

Em publicação no Diário Oficial da União, nesta terça-feira (20), o Ministério da Saúde (MS) informou que pretende já substituir os profissionais no dia 3 de dezembro. Ao todo, 294 médicos cubanos atuam no Amazonas pelo programa.

As inscrições começam a partir das 8h desta quarta-feira e seguem até o próximo domingo (25), para os médicos brasileiros com registro no Conselho Federal de Medicina (CFM) ou com diploma revalidado no País. Os profissionais podem se inscrever pela internet.

De acordo com o MS, com o anúncio da saída dos médicos, o governo federal adotou medidas para garantir a assistência dos brasileiros atendidos pelas equipes da Saúde da Família que contam com profissionais de Cuba. O órgão informou que está prevista a abertura de uma nova chamada no dia 27 de novembro, para brasileiros formados no exterior e estrangeiros.

Os profissionais do Mais Médicos recebem bolsa-formação (atualmente no valor de R$ 11,8 mil) e uma ajuda de custo inicial entre R$ 10 mil e R$ 30 mil para deslocamento para o município de atuação. Além disso, todos têm a moradia e a alimentação custeadas pelas prefeituras municipais. Desde 2017, a pasta passou a reajustar o valor da bolsa anualmente aos médicos participantes e concedeu, também, um acréscimo de 10% nos auxílios moradia e alimentação de profissionais alocados em DSEI.

No Amazonas, nove municípios receberão somente uma vaga. Tabatinga tem 64 mil habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mas o programa prevê a contratação de apenas um médico. O mesmo ocorre com o município de Humaitá, que vai receber um profissional do Mais Médicos com a missão de atender
45 mil moradores.

Os Estados da Região Norte receberão juntos 1.362 médicos da família. As sete Unidades da Federação concentram 15 milhões de pessoas, segundo o IBGE.

Criado em 2013, durante o governo de Dilma Rousseff, o programa conta com 18.240 vagas em mais de 4 mil municípios e 34 DSEIs.

Anúncio