Amazonas tem sete novos casos de coronavírus; total é de 54

Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS/AM) divulgou novo boletim na tarde desta quarta-feira (25)

Manaus – Sete novos casos do novo coronavírus (Covid-19) foram confirmados no Estado, conforme a atualização do boletim realizada pela Fundação em Vigilância de Saúde do Amazonas (FVS-AM), durante coletiva online, na tarde desta quarta-feira (25). O total agora é de 54 casos.

Conforme a diretora-presidente da FVS-AM, Rosemary Costa, 49 casos desse total estão isolamento domiciliar, quatro encontram-se internados e 21 estão em investigação. Um caso suspeito está sendo transferido para Manaus, por meio de UTI aérea, vindo de Nova Olinda do Norte. “Como ainda não fizemos a coleta, não podemos dizer se é um caso do novo coronavírus”, ressaltou.

Casos graves do novo coronavírus estão sendo tratados no Hospital e Pronto-Socorro Delphina Aziz (Foto: Yago Frota/GDC)Na noite de terça-feira (24), foi registrado o primeiro óbito no Estado, em decorrência da contaminação pelo novo vírus. O paciente Geraldo Sávio, 49, era um dos casos confirmados em Parintins, onde havia, além dele, outro caso registrado, da esposa dele, segundo o governador Wilson Lima. A mulher está em quarentena, isolada e sendo monitorada.

“O Estado seguiu todo o protocolo, fez a transferência desse paciente, por meio de UTI aérea, até o Hospital Delphina Aziz, onde esse paciente recebeu todo o tratamento e atenção necessária. Conversei com a esposa dele, hoje [quarta-feira]. A situação dela é estável. Ela não está internada. Falei a respeito do enterro do Sávio, pois há todo um protocolo a ser seguido”, disse.

A diretora-presidente da FVS-AM explicou que a Anvisa define um protocolo a ser seguido e, preferencialmente, os corpos que apresentavam infecção pelo novo coronavírus devem ser cremados. “Na impossibilidade de cremar, esses corpos devem ser devidamente isolados e enterrados”, acrescentou.

Lima disse que a família da vítima optou por fazer a cremação do corpo. “Aqui, no Estado do Amazonas, nós não estamos com nenhuma estrutura pronta para crematório. Essa estrutura é da iniciativa privada. Eu conversei, inclusive, com o dono desse espaço, que me garantiu que, daqui a uma semana, esse crematório estará pronto. O compromisso que nós assumimos com a família é de manter esse corpo conservado”, afirmou.

Segundo Rosemary, o paciente que foi a óbito chegou a tomar uma dose do tratamento realizado com cloroquina, mas esse procedimento não inferiu na evolução do quadro dele.

“No momento em que paciente entrou no protocolo e começou a tomar o medicamento, ele já estava em um estado muito grave”, ressaltou a diretora-presidente da FVS-AM.

Testes rápidos

Conforme o governador, o Estado adquiriu 30 mil kits de testes rápidos. Os materiais foram comprados em uma empresa em Brasília, e devem chegar nos próximos dez dias, para ampliar a capacidade de testagem.

“Quanto mais rápido a gente identificar essas pessoas que foram contaminadas, maior será a nossa capacidade de controle e, também, evitar que essas pessoas possam transmitir esse vírus para parentes, amigos e comunidade”, pontuou Wilson Lima.

De acordo com Rosemary, 174 testes já foram realizados pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Amazonas (Lacen/AM), sendo que 104 foram descartados.

Wilson Lima afirmou que o Amazonas está se preparando para o caso de haver um aumento exponencial nos casos confirmados. As unidades de saúde do Estado terão a disponibilidade de 350 leitos para atender pacientes agravados com a Covid-19. Além disso, o governo está em tratativas com unidades privadas para adquirir mais 400 leitos.

Rosemary Costa afirmou que o Estado já adquiriu 50 respiradores, que devem chegar a qualquer momento. Segundo ela, o Hospital Delphina Aziz já possui 50 leitos prontos para atender os possíveis casos que necessitem de UTI.

Um hotsite será criado para disseminar informações especificamente sobre o coronavírus, por meio do endereço coronavirus.amazonas.am.gov.br. Lá, serão disponibilizadas todas as informações disponíveis no banco de dados da FVS-AM.

Aplicativo deve monitorar pacientes em quarentena

Um novo decreto estabelecido pelo governo define que todos os passageiros que chegarem ao Aeroporto Internacional Eduardo Gomes deverão entrar em quarentena. O monitoramento será feito por meio de um aplicativo que funciona como um GPS, e deve valer, também, aos outros pacientes que estão sendo monitorados pela FVS-AM, pois os usuários poderão mapear os possíveis sintomas do vírus.

“Nós já fizemos os primeiros testes hoje [quarta-feira, 25]. O aplicativo está funcionando muito bem e, a partir de amanhã [quinta-feira, 26], todos os que descerem no aeroporto serão instados a baixar o aplicativo e passarão a ser monitorados por 14 dias. Nós vamos saber se a pessoa desenvolve algum sintoma da Covid-19 e, nesse caso, se os sintomas foram leves, ela será orientada à distância a manter o isolamento social. Se houver algum tipo de agravamento, de imediato, nós vamos tomar conhecimento disso e essa pessoa será encaminhada para o atendimento oportuno no Hospital Delphina Aziz”, explicou a diretora-presidente da FVS-AM.

Em novo decreto, Wilson Lima determinou que os agentes da FVS-AM passarão a ter poder de polícia, facilitando as ações de monitoramento nas ruas.

“Nós vamos estar à disposição da população, de uma maneira mais eficiente e realizando ações de vigilância que são importantes nesse momento do surto”, disse Rosemary.

Moradores de rua receberão assistência

Um ponto de apoio foi montado na Arena Amadeu Teixeira, no bairro Flores, zona centro-sul de Manaus, onde há uma equipe da área de saúde para receber os moradores de rua, que passarão por uma triagem, com o intuito de medir a temperatura e investigar se o indivíduo apresenta algum sintoma de síndrome respiratória ou outras doenças.

“Ali eles vão tomar banho, vão receber roupas novas, vão se alimentar. Nós vamos oferecer três refeições por dia e também vamos dar a eles kits de higiene. Aquele espaço também será destinado para receber pessoas que não tenham para onde ir, naturalmente, respeitando a questão da aglomeração. Nós estamos evitando que isso aconteça”, afirmou Wilson Lima.

Na bilheteria da arena, foi montado também um drive thru para receber doações. Na quadra, estão colchões que foram doados por uma empresa. Porém, o governador afirmou que, no momento, as doações estão direcionadas para materiais de higiene pessoal e roupas.

Festival Folclórico de Parintins

Segundo Wilson Lima, a realização do Festival Folclórico de Parintins já está sendo tratada com o prefeito Bi Garcia e com os presidentes dos bois Garantido e Caprichoso. Ainda neste mês, o governo deve definir se o festival será adiado para o final deste ano ou se o mesmo será cancelado, podendo ser realizado somente em 2021.

“O fato é que é inviável, pelo quadro que a gente observa no mundo, que o festival seja realizado no último final de semana de junho. A gente vai definir no final deste mês ou início de abril, mas nós não temos expectativa de que, em junho, a situação esteja resolvida”, pontuou.

Pronunciamento do presidente

Sobre a declaração dada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, em rede nacional, nesta terça-feira (24), o governador do Amazonas afirmou que todas as decisões tomadas para o combate e controle da Covid-19 no Estado do Amazonas serão mantidas.

“Todas as decisões que nós tomamos são baseadas em protocolos que, inclusive, foram estabelecidas pelo próprio Ministério da Saúde e pela FVS. E eu vou continuar tomando essas decisões porque eu tenho o compromisso de proteger o cidadão. O prejuízo econômico que nós vamos ter é inevitável. Todo mundo terá prejuízo econômico, mas a vida das pessoas está acima de qualquer coisa. Não voltarei atrás de nenhuma decisão que foi tomada”, ressaltou.

* Matéria atualizada às 17h12.

Anúncio