Amazonas teve uma morte violenta a cada seis horas em 2016

Média é de uma morte violenta a cada seis horas, no Estado. Dados constam no Registro Civil 2016, apresentado, ontem, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

Manaus – Segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no Amazonas foram registradas 1.684 mortes não naturais (violentas), em 2016. A média é de uma morte violenta a cada seis horas, no Estado. O número de nascidos foi cerca de 80% maior que o de óbitos no ano de 2016. Foram registrados 81.830 nascimentos no ano passado e 15.587 óbitos (naturais, não naturais e ignorados). Os dados constam no Registro Civil 2016, apresentado, ontem, pelo IBGE.

Volume de óbitos registrados no Amazonas, nos últimos cinco anos, teve um acréscimo de 13% (Foto: Sandro Pereira/Arquivo)

Segundo o IBGE, o volume de óbitos registrados no Amazonas, nos últimos cinco anos, teve um acréscimo de 13%, passando de 13.742 registros em 2012 para 15.587 em 2016. A proporção das mortes para homens é bem superior aos de mulheres, 61% contra 39%. Quanto à causa da morte, 88% morreram de causas naturais e 11% de causas violentas.

No número de nascidos foram 41.913 meninos, 39.904 meninas e 13 ignorados. Já o de óbitos foram 9.485 homens, 6.073 mulheres e 29 ignorados, sendo 13.711 mortes naturais, 1.684 mortes violentas e 192 ignorados.

Casamentos x Divórcios

O Registro Civil 2016 apontou também o total de casamentos e divóricos registrados em 2016. No Amazonas, o número de casamentos foi três vezes maior que o de divórcios. Foram registrados 16.977 casamentos no Estado, cerca de 46 uniões diariamente, sendo 12.371 em Manaus e 4.606 no interior. Desse número, 16.907 casamentos são entre homens e mulheres, 31 entre homens e 39 entre mulheres. Na Região Norte, o Estado ficou atrás somente do Pará, onde foram registrados 33.773. Em Rondônia foram registrados 13.980 casamentos e em Tocantins 6.761.

Segundo o IBGE, foram registrados 1.095.535 casamentos em todo o País, sendo 5.354 entre pessoas do mesmo sexo. Houve queda de 3,7% em relação ao ano de 2015. A redução foi observada tanto nos casamentos entre cônjuges de sexos diferentes quanto para os cônjuges do mesmo sexo, com exceção das regiões Sudeste e Centro-Oeste que apresentaram aumento nos casamentos civis entre pessoas do mesmo sexo. Para cada mil habitantes do País com 15 anos ou mais de idade, sete registraram casamento civil em 2016.

Quantos aos divórcios, no Amazonas foram registradas 5.123 separações no ano passado, aproximadamente 14 por dia. Sendo 4.853 em Manaus e 270 no interior. Destes, 3.592 foram divórcios consensuais e 1.531 não consensuais, sendo 635 requeridos pelo marido e 836 requeridos pela mulher. No Estado do Pará foram registrados 7.124 divórcios, em Rondônia foram 2.475, já em Tocantins 1.972.

Em todo o País, foram concedidos 344.526 divórcios em 1ª instância ou por escrituras extrajudiciais em 2016, um aumento de 4,7% em relação a 2015, quando foram concedidos 328.960 divórcios.