‘Apagão’ das redes sociais causa prejuízos nos negócios

Durante o ‘blackout’ muitas pessoas se sentiram prejudicadas, não só para a comunicação com amigos e familiares, mas também no âmbito dos negócios

Manaus – As redes sociais Facebook, Instagram e Whatsapp, ficaram fora do ar em todo o mundo durante quase toda a segunda-feira (4). Os aplicativos que atualmente são os meios mais utilizados para a comunicação, ficaram inacessíveis durante horas. O serviço retornou aos poucos no início da noite.

Durante o ‘blackout’ muitas pessoas se sentiram prejudicadas, não só para a comunicação com amigos e familiares, mas também no âmbito dos negócios. Muitos profissionais e estabelecimentos utilizam as redes sociais para vendas e comunicação com clientes, o que foi interrompido com a queda das principais redes.

As redes sociais Facebook, Instagram e Whatsapp, ficaram fora do ar em todo o mundo durante quase toda a segunda-feira (4). (Foto: Divulgação)

O advogado Lauro Cavalcante que costumeiramente realiza reuniões com os clientes pelo whatsapp, precisou organizar uma reunião pessoalmente com a queda do aplicativo de mensagens. O advogado explicou que a comunicação com os clientes atualmente se dá através das redes sociais.

“A queda dessas redes nos afetou em todos os sentidos, pois nossa comunicação no geral se dá por meio das redes sociais. Nós advogados precisamos marcar reuniões, falar com os clientes. Os restaurantes que precisam vender divulgam nas redes sociais, então essa queda causou prejuízo para toda a população e não somente aqui, já que foi no mundo inteiro. Quando isso acontece ficamos sem respostas. Existe segurança sobre a nossa comunicação nas redes sociais?”, questionou.

O assistente de logística Alysson Leandro também não conseguiu se comunicar com os clientes durante o ‘blackout’. “Nós que trabalhamos com vendas, como vamos nos comunicar com nossos clientes? Com certeza foi um dia bem complicado, principalmente no setor de vendas que depende da comunicação”, afirmou.

Quem precisou se comunicar com parentes que moram em outras regiões, também se sentiu “ilhado” digitalmente. A professora Arlene Soares, mora em Roraima e não conseguiu avisar o esposo que comprou a passagem para viajar.

“Eu comprei uma passagem para voltar para casa e precisei avisar meu marido, mas não tive como porque estava fora do ar. Não tenho como me comunicar com ninguém da minha família pois eu moro em uma vila onde só pega a internet, mas dificilmente tem sinal de telefonia e isso me prejudicou muito o dia inteiro”, disse.

Anúncio