Apenas 30% dos ônibus do transporte público de Manaus vai circular nesta sexta, afirma sindicato

Afirmação foi dada durante a tarde desta quinta-feira (31), pelo presidente do Sindicato dos Rodoviários, Givancir Oliveira. Ele também disse que greve deve seguir por tempo indeterminado

Manaus – Setenta por cento da frota de ônibus do transporte público de Manaus vai ficar nas garagens, e apenas 30% vai circular na capital, nesta sexta-feira (1º). A afirmação foi dada durante a tarde desta quinta-feira (31), pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários de Manaus (STTRM), Givancir Oliveira.

Segundo o presidente do Sindicato dos Rodoviários, Givancir Oliveira. a greve deve seguir por tempo indeterminado. (Foto: Pablo Trindade)

A capital continua com 100% da frota de coletivos paralisada. Nenhum ônibus deixou as garagens das nove empresas que operam o serviço na cidade, desde às 4h da madrugada desta quinta-feira.

Durante coletiva de imprensa, Givancir alegou que a decisão de paralisar em 100% a frota aconteceu após as empresas anunciarem a contratação de motoristas e cobradores, o que pode ocasionar a demissão de dois mil trabalhadores – metade do pessoal empregado, atualmente, pelas empresas de transporte público.

“Em virtude dos anúncios das empresas estarem contratando funcionários horistas, com salários abaixo da convenção coletiva. Ou seja, se hoje o ‘cara’ ganha R$2,5 mil, estão contratando para ganhar R$ 2.250, para motorista, sem pagar os R$ 800 da cesta básica e o plano de saúde. Isso deixou a categoria revoltada porque sabe que vai ser substituída”, disse.

O presidente do sindicato dos rodoviários disse, ainda, na tarde desta quinta-feira, que além de “brigar” por um reajuste salarial de 3%, referente aos anos de 2018/2019, a categoria vai brigar com as empresas para que não aplique a nova reforma trabalhista, o que reduziria o salário e os benefícios dos trabalhares.

Givancir Oliveira disse que, até a tarde de hoje, não houve conversa com o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros do Amazonas (Sinetram), e a greve deve seguir por tempo indeterminado.