Após 3 meses, causa de fuga do CDPM 2 é incógnita e Seap não revela punições

Inquérito que visa apurar o envolvimento de agentes carcerários ainda não foi finalizado. Dos 35 fugitivos, 22 ainda estão foragidos e são suspeitos de novos crimes no Amazonas

Manaus – A fuga em massa que ocorreu no Centro de Detenção Provisória Masculino de Manaus (CDPM 2) completa três meses, neste domingo (12). Ao todo, 35 presos, entre eles: ‘Sandrinho’ e ‘Mano Kaio’, considerados de alta periculosidade, fugiram do presídio através de um túnel e 22 seguem foragidos. Noventa dias depois, o inquérito que visa apurar o envolvimento de agentes carcerários ainda não foi finalizado e a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) não informou se algum funcionário chegou a ser afastado ou punido.

Presos fugiram por um túnel e ‘desapareceram’ na mata ao lado da estrada que liga a BR-174 ao presídio. (Foto: Raquel Miranda/Arquivo)

A Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) determinou que o inquérito fosse apurado pelo Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), da Polícia Civil, com apoio de todo o sistema de segurança. No entanto, até a última quinta-feira (9), o delegado da DRCO, Juan Valério, informou que a investigação ainda estava em curso. “O inquérito ainda está em curso, então, não posso comentar, preciso manter o sigilo até para não prejudicar as investigações”, declarou Valério.

A REDE DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (RDC) enviou diversas solicitações e um formulário da Lei de Acesso à Informação (LAI) e há 60 dias está sem resposta. A reportagem questionou, por exemplo, quantos agentes penitenciários, entre 2015 até a data desta última fuga, foram punidos por suspeita de facilitação. Assim como, qual a punição de cada um dos agentes suspeitos. Informação negada pelo órgão até a última sexta-feira (10).

A contagem dos prazos previstos pela LAI e em seu decreto regulamentador (Decreto nº 7.724/2012) obriga que se a informação estiver disponível, ela deva ser entregue imediatamente ao solicitante. Já, caso não seja possível conceder o acesso imediato, o órgão ou entidade tem até 20 dias para responder ao pedido, prazo que pode ser prorrogado por mais 10 dias, mediante justificativa expressa. O que não ocorreu, até a publicação desta reportagem.

A SSP, passados 30 dias de apuração, informou que fez uma perícia no presídio e no túnel aberto pelos detentos, mas não revelou o que foi encontrado após essa inspeção.

Os funcionários que estavam de plantão foram ouvidos, assim como presos e os detentos recapturados e mais uma vez a secretaria não informou, na nota de esclarecimento, o que foi adiantado nas oitivas.

Recompensa em dinheiro

A SSP-AM prometeu recompensa em dinheiro para quem passar informações que levem à prisão de qualquer um dos 22 fugitivos procurados. Denúncias devem ser feitas ao Disque-Denúncia da secretaria (181) e a secretaria informou que o sigilo do denunciante será mantido. De acordo com o novo Banco Nacional de Monitoramento de Presos (BNMP 2.0), mantido pelo Conselho Nacional de Justiça, ao todo, 59 presos estão foragidos do sistema penitenciário do Estado.

Ficha criminal

A SSP-AM afirma que a fuga do CDPM 2 é a principal causa para a ‘onda de assassinatos’ que vitimou 197 pessoas nos últimos dois meses. Levantamento da Secretaria-Executiva-Adjunta de Inteligência (Seai), órgão da SSP-AM, aponta que, juntos, os procurados pelos homicídios respondem por 85 processos em andamento na Justiça do Amazonas por crimes como tráfico de drogas, roubos, organização criminosa e homicídios.

‘Mano Kaio’ responde a 13 processos na Justiça por homicídio, tráfico de drogas, associação criminosa, roubo e roubo majorado. ‘Playboy’ tem 22 processos em curso e já foi preso por posse irregular de arma de fogo, tráfico de drogas e homicídio. ‘Sandrinho’, que responde a 13 processos, já foi preso por roubo, tráfico de drogas, associação criminosa e homicídios. Já ‘Bruno Fiel’, que possui 15 processos na Justiça, foi preso por tráfico de drogas, associação para o tráfico e homicídio. ‘Cagão’ tem nove processos em trâmite na Justiça e já foi preso por tráfico, homicídio e associação para o tráfico. Ele foi recapturado, recentemente, no Piauí. ‘Salomão’ tem 14 processos em andamento e já foi preso por homicídio, tráfico, roubo, porte de arma de fogo e uso de documento falso.