Após decisão da Justiça Federal, caminhoneiros deixam área da refinaria de Manaus

Com a decisão, trânsito no local flui normalmente nos dois sentidos. Distribuidoras de combustíveis operam dentro da normalidade, neste sábado (26)

Manaus – Os postos de combustíveis de Manaus começaram a ser reabastecidos, no início da manhã deste sábado (26), após uma decisão da Justiça Federal determinar a liberação da Rua do Marapatá, no Distrito Industrial, zona sul, que dá acesso à refinaria de Manaus.

A decisão da Justiça Federal referente ao processo nº 1001826-52.2018.4.01.3200 emitida na noite desta sexta-feira (25) determinou que os caminhoneiros liberassem a Rua do Marapatá, no bairro Distrito Industrial, zona sul. A ação foi ingressada na 3ª Vara da Justiça Federal , cujo autor é a Atém Distribuidora de Petróleo S.A. A desobstrução da via foi determinada pelo juiz federal Ricardo Augusto de Sales.

Na noite desta sexta-feira (25), o prefeito de Manaus, Arthur Neto, decretou estado de emergência por causa da falta de combustíveis na capital. Postos das zonas centro-sul, norte e leste começaram a operar no início da manhã. Na sexta-feira, o presidente da república, Michel Temer, determinou o uso das forças armadas na desobstrução de estradas bloqueadas pelos caminheiros, em greve desde a última quinta-feira (24).

Decisão

Na noite desta sexta-feira, o grupo de caminhoneiros que estava acostado no Km 2 da BR 174, suspendeu a paralisação no local, e se dirigiu para a refinaria de Manaus. Porém, depois das 21h, uma oficial de Justiça, acompanhada da Polícia Militar (PM) e órgãos de trânsito do estado e município, levou a determinação da Justiça Federal até os caminhoneiros, que liberaram o acesso à refinaria.

O representante dos caminheiros em Manaus, Edmilson Aguiar, disse que os manifestantes foram “obrigados” a liberar a via, por conta da decisão judicial. “Resolvemos cumprir porque o Estado não está ao lado do nosso povo. Se fosse só os caminhoneiros, permaneceríamos, mas muitas pessoas já tinham apoiado nossa paralisação, e tínhamos medo de muita gente sair ferida”, disse.

Segundo Aguiar, uma nova reunião entre os caminhoneiros deve ocorrer ainda na manhã deste sábado na capital, onde devem definir se continuam o movimento grevista.

Anúncio