Prédio interditado desaba no Centro de Manaus; veja vídeo

Moradores da área ouviram barulhos e gravaram um vídeo pelo celular

Manaus -Um prédio desativado desabou na noite desta quinta-feira (18), na Avenida Henrique Martins, no centro de Manaus. A área foi afetada por uma erosão. Ninguém ficou ferido.

Moradores da área ouviram barulhos e gravaram um vídeo pelo celular, as imagens mostram o momento que o prédio desabou.

Foto: Nainy castelo Branco/GDC

Um vigia que estava no local relatou que desde domingo (14), os vidros do local estavam quebrando, com a chuva, a situação piorou ainda mais.

De acordo com o diretor da Associação Comercial do Amazonas (Aca), esse é terceiro prédio que desabou desde que a área foi interditada. Os outros dois foram demolidos.

“Esse problema já está aqui a mais ou menos um ano e meio, dois imóveis foram demolidos pela prefeitura e com a chuva vai se intensificando”, destacou o direito

Em outubro deste ano a prefeitura de Manaus iniciou a obra para recuperação da área. O problema foi causado por uma construção irregular realizada em cima de um bueiro e das galerias.

Uma equipe do Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM) esteve no local. Técnicos da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) estão acompanhando a obra emergencial.


A Seminf enviou uma nota explicando que o imóvel estava interditado pelo Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), desde o início das obras. A área também foi interditada pela Defesa Civil do município, e dentro do perímetro demarcado, a Seminf está fiscalizando os trabalhos de implantação das novas galerias de águas pluviais.

Nota prefeitura na íntegra

A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), informa que o prédio que desabou na rua Henrique Martins, centro de Manaus, no início da noite desta quinta-feira (28), estava totalmente desocupado e sem trabalhadores no local. O imóvel estava interditado pelo Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), desde o início das obras. A área também foi interditada pela Defesa Civil do município, e dentro do perímetro demarcado, a Seminf está fiscalizando os trabalhos de implantação das novas galerias de águas pluviais.

O local está sendo monitorado 24 horas e o incidente não ocasionou nenhum dano à obra ou ao entorno.

Conforme o engenheiro Igor Mendes, fiscal da Seminf, o prédio estava com a fundação exposta e já estava prevista a possibilidade do imóvel vir a ruir. As fortes chuvas registradas nos últimos dias na cidade, contribuíram para erodir o solo, ocasionando o sinistro.

Anúncio