Após paralisação, julgamento do dissídio dos rodoviários é adiado para 14 de março

O processo foi retirado da pauta do TRT após desembargadora pedir vistas regimental. Segundo o Sinetram, ato no Centro de Manaus prejudicou cerca de 200 mil pessoas

ManausApós paralisação dos rodoviários, o julgamento do Dissídio Coletivo da categoria foi retirado de pauta, na sessão desta quarta-feira (28) do Tribunal Pleno, do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região, por pedido de vistas regimental da desembargadora do trabalho Solange Maria Santiago Morais. O TRT11 informou, por meio de nota, que o processo será reincluído na próxima sessão judiciária do Tribunal Pleno, no dia 14 de março.

De acordo com o TRT11, figuram como partes do Dissídio Coletivo n. DC 000235.43.2017.5.11.0000, o Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviários e o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram).

O engarrafamento na Avenida Constantino Nery chega a cinco quilômetros (Foto: Édria Caroline/Divulgação)

Na manhã desta quarta-feira, os rodoviários paralisaram as atividades e o ato causa transtornos à população. O engarrafamento na Avenida Constantino Nery chegava a cinco quilômetros, por volta das 12h20. A Prefeitura de Manaus informou que o ato é ilegal. A Procuradoria Geral do Município (PGM) vai avaliar o dano coletivo causado e deverá entrar com medida indenizatória contra o Sindicato dos Rodoviários.

O TRT-11 afirmou que, nesta quinta-feira (1º), haverá uma audiência pública com a participação do Sindicato dos Rodoviários e o Sinetram, onde será abordada uma greve realizada em junho do ano passado.

O Sinetram informou, por meio de nota, que membros do sindicato dos rodoviários impediram a saída dos ônibus que passam pelo Terminal 1 (T1), no Centro, por cerca de duas horas.

De acordo com o Centro de Controle Operacional (CCO) do Sinetram, a paralisação começou por volta de 10h30 e terminou por volta de 12h30. Ainda conforme a nota, aproximadamente 200 mil pessoas foram prejudicadas. Cerca de 100 linhas, operadas por 700 ônibus que passam pelo T1 e ruas do entorno, ficaram paradas.

O CCO/Sinetram informou, ainda, que os rodoviários paralisaram também o Terminal 2 e um terminal de linha da empresa Líder Transportes, localizada no Parque das Nações, zona Centro-Sul. Nesses dois lugares a paralisação começou por volta de 10h30 e terminou às 13h.

O Sinetram ressaltou que não foi notificado sobre o movimento grevista e desconhece as causas. O sindicato informou que a Justiça será informada sobre o movimento ilegal. Essa é a sexta greve irregular realizada pelo Sindicato dos rodoviários somente em 2018, conforme o Sinetram.

***Matéria atualizada às 18h15.

Anúncio