Após polêmica, prefeito Arthur Neto visita obra de estação de ônibus na Ponta Negra

A estação tem valor de R$ 207 mil. No local, também será implantado o Centro de Atendimento do Turista (CAT), que também está em construção. O novo espaço possui 96 metros quadrados, com estrutura moderna e soluções arquitetônicas para minimizar a sensação térmica e proporcionar mais conforto aos usuários

Manaus – Após polêmica sobre a obra de uma estação de ônibus que está sendo construída pela Prefeitura de Manaus, na Ponta Negra, zona oeste da capital, o prefeito Arthur Virgílio Neto visitou o local, na manhã desta quinta-feira (15), onde se pronunciou sobre o assunto. A estação tem valor de R$ 207 mil. No local, também será implantado o Centro de Atendimento do Turista (CAT), que também está em construção.

O novo espaço possui 96 metros quadrados, com estrutura moderna e soluções arquitetônicas para minimizar a sensação térmica e proporcionar mais conforto aos usuários. Dos R$ 207 mil da obra, R$ 64 mil são provenientes de custo de obras – valor que inclui tapumes, placa, entradas de energia elétrica e água provisórias, locação de contêiner e banheiros químicos, além da mão de obra de engenheiro civil, almoxarife, encarregado, entre outros.

De acordo com o prefeito da cidade, a estação de ônibus não é como as outras já existentes (Foto: Divulgação/Semcom)

De acordo com o prefeito da cidade, a estação de ônibus não é como as outras já existentes. A nova obra é feita rigorosamente dentro da tabela do Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (Sinapi). Além disso, o projeto está dentro do planejamento arquitetônico do Parque Ponta Negra.

“Uma pessoa precisa ser muito maldosa em comparar isso com uma parada de ônibus. Isso aqui, na verdade, é uma estação de embarque e desembarque de passageiros. Quem critica isso aqui é quem não precisa, porque certamente tem seu carrinho. Ou quem tem pretensão política”, disse.

O prefeito destacou que nova estação será útil para os trabalhadores da Ponta Negra, para os cadastrados que trabalham como ambulantes e, principalmente, para o público em geral, que utiliza o espaço para entretenimento.

O diretor do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), Cláudio Guenka, disse que a obra possui 2 metros de profundidade, com estrutura metálica para aguentar a ação do vento e materiais de acabamento de forma diferenciada, como aço escovado e ACM (Alumínio Aplicado).

“É uma obra que se diferencia de outras paradas. É um projeto que o prefeito sempre colocar na cidade de Manaus. Trazer sua diferença, qualidade e, principalmente, trazer a valorização da cidade para os seus moradores”, acrescentou.

Anúncio