Arthur exige acordo entre sindicatos para fim da greve dos rodoviários em Manaus

Arthur Neto disse que a prefeitura deu 24 horas para que o Sindicato dos Rodoviários e Sindicato das Empresas de Transporte entrem em acordo sobre a greve, sob pena de ação judicial com “multa rigorosa” para os dois sindicatos

Manaus – O prefeito de Manaus Arthur Virgílio Neto disse que a prefeitura deu o prazo de 24 horas para que o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Manaus (STTRM) e o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros do Amazonas (Sinetram) entrem em acordo sobre a definição da greve, sob pena de ação judicial junto ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT 11ª Região), pedindo “multa rigorosa” para os dois sindicatos.

“Pedindo multa rigorosa para ambos – patrões e trabalhadores. E adiantando que o que vier para a prefeitura será revestido em casas, crianças carentes, mulheres. Mas para encerramos de uma vez essa interminável disputa, esse interminável bate-boca, interminável jogo de para aqui e o de nega aqui e acolá, nós vamos agir contra ambos”, disse o prefeito. O anúncio foi feito, na noite desta terça-feira (29), após reunião com representantes dos sindicatos.

Os dois sindicatos não entraram em acordo e a greve segue por tempo indeterminado. Nesta quarta-feira (30), o presidente do sindicato dos rodoviários, Givancir Oliveira, disse que atendendo a um pedido do prefeito de Manaus, 70% da frota de ônibus deve circular na capital e 30% deve permanecer nas garagens das dez empresas que operam o serviço de transporte público na cidade.

A reunião entre a prefeitura e os dois sindicatos iniciou por volta das 16h30, na sede da Prefeitura de Manaus, no bairro Compensa, zona oeste da capital, e terminou por volta das 18h40. Os rodoviários exigem 7,5% de reajuste salarial, sendo 4% do dissídio coletivo de 2018/2019 e 3,5%, do dissídio de 2017, porém o Sinetram quer negociar o percentual de 6%.

PGM poderá acionar TRT sobre a greve

Se não houver acordo, a Procuradoria Geral do Município (PGM) deve acionar o TRT 11ª Região. O assessor jurídico do Sinetram, Fernando Borges, deixou a reunião dizendo que o sindicato só negocia com os rodoviários caso a greve fosse suspensa. Mais cedo, a presidente do TRT 11ª Região, Eleonora Saunier, aumentou a multa do sindicato dos rodoviários de R$ 30 mil para R$ 200 mil, por hora de greve.

Prefeito dá prazo de 24h para que Sindicato dos Rodoviários e Sinetram entrem em acordo

Prefeito dá prazo de 24h para que Sindicato dos Rodoviários e Sinetram entrem em acordo

Posted by D24am on Tuesday, May 29, 2018