Audiência pública discute transporte executivo e apresenta projeto para futura licitação

Os debates incluíram a concessão do transporte municipal e a abertura de um novo processo licitatório para a execução do serviço do transporte executivo tipo micro-ônibus

Manaus – Uma audiência pública discutiu, nesta quinta-feira (28), propostas para o projeto básico da futura licitação do modal de transporte Executivo em Manaus, os populares micro-ônibus “branquinhos”. Parlamentares dos poderes legislativos municipal e estadual, eventuais candidatos à licitação, assim como a população em geral, participaram do evento que ocorreu no auditório Isabel Victoria do Carmo Ribeiro, na sede da prefeitura, na avenida Brasil, nº 2.971, Compensa, na zona Oeste.

Além da apresentação do projeto básico, outro ponto alto da audiência foi a discussão sobre o projeto, uma oportunidade em que os participantes puderam apresentar suas ponderações e sugerir mudanças que serão analisadas por equipe técnica da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU).

Audiência pública ocorreu nesta quinta-feira (28) (Foto: Marinho Ramos/Semcom)

Para o superintendente da SMTU, coronel da Polícia Militar Franclides Ribeiro, a audiência foi uma oportunidade para ouvir as demandas dos operadores do sistema Executivo, assim como coletar sugestões ao projeto. “Essa discussão é para encontrar meios de atender melhor a população por este modal diferenciado, o Executivo. Buscamos melhores condições para atender todas as zonas da cidade”, disse. Na manhã desta sexta-feira (29), ocorrerá a audiência para discutir o modal de transporte Alternativo também no auditório da prefeitura.

O diretor de transporte da SMTU, Wirley Abdala, ratificou que o Executivo deve oferecer serviços além do convencional. “Por lei, ele tem que ser diferenciado. Tem que ter ar condicionado, transportar todos os passageiros sentados, entre outros”, afirmou.

Para o presidente da comissão de transporte da câmara municipal de Manaus, vereador Rosivaldo Cordovil, a nova licitação garante que a gestão municipal irá incluir novos requisitos para oferecer mais segurança e conforto aos usuários do sistema. “ Por isso, que é importante estarmos debatendo entre as classes envolvidas. Hoje, a população exige mudanças necessárias no transporte de passageiros com mais qualidade”, disse o vereador.

Por outro lado, conforme a presidente da Federação dos Cooperados do Amazonas (Fecotram), Walderiza Melo, o novo edital não agradou a categoria trabalhista.”O que a SMTU apresentou é um absurdo, não nos falaram em relação itinerário, exigindo cobrança de 50% do transporte em relação ao modelo convencional, redução para 120 micro-ônibus, isso trará prejuízos a categoria”, disse a presidente.

Para o estudante Roberto Fernandes, 26, esta audiência serve apenas para “jogo de interesse” e a população está sendo esquecida. ” Os microônibus que existem na cidade não estão oferecendo conforto e estão prejudicando a saúde da população. São ônibus velhos, sem ar-condicionado, falta manutenção, além dos motoristas estarem infringindo a legislação conversando ao celular quando estão dirigindo, passageiros em pé, o que estão discutindo hoje é interesse e esquecendo de quem sustenta o modal que é o povo “, disse o estudante.

Modais

Uma das mais recentes conquistas envolvendo os modais Executivo e Alternativo foi a assinatura dos contratos de adesão precário, temporário e provisório destes modais, em 21 de janeiro deste ano, realizada pelo prefeito de Manaus Arthur Virgílio Neto. Com isso, estes sistemas de transportes trabalham de forma regular e legalizada até o procedimento licitatório.

Todo o processo para a assinatura dos contratos foi coordenado pela SMTU e teve início com o censo de 2018, quando foram verificadas a documentação dos veículos, inclusive o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), além da quantidade e da qualidade dos que realizam o transporte de passageiros na cidade de Manaus.

Anúncio