Balbina Mestrinho retoma parto na água após dois anos de suspensão

Além do parto na água, a maternidade oferece o parto vertical, ou seja, com a parturiente em pé, sentada ou ajoelhada

Manaus –  Após dois anos de suspensão, a realização de parto humanizado na água retomou na última terça-feira (1º) na Maternidade Balbina Mestrinho em Manaus.  O atendimento havia deixado de ser ofertado em razão da pandemia de Covid-19.

O parto na água permite a reutilização das banheiras e, com a retomada, a expectativa é que haja aumento do número de partos realizados na maternidade, que registra, em média, mais de 40 por mês. O último parto humanizado na água realizado na maternidade aconteceu em janeiro de 2020.

A direção da maternidade buscou, junto à Fundação de Vigilância em Saúde Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP), atender todas as recomendações para que o parto humanizado pudesse voltar a ser ofertado para as pacientes da unidade.

Atendimento

As pacientes que desejam realizar o parto humanizado na água podem procurar o serviço social ou a gerência de enfermagem da unidade, e uma visita ao Centro de Parto Normal Intra-Hospitalar será agendada.

Além da experiência de parto na água, o Centro de Parto Normal Intra-Hospitalar (CPNI) da Balbina Mestrinho possui outras modalidades, estimulando o parto vertical, ou seja, com a parturiente em pé, sentada ou ajoelhada. Na modalidade, a mulher estará ajudando o seu corpo no processo de nascimento, com a gravidade trabalhando a favor dele. A posição vertical faz ainda com que as contrações uterinas sejam mais eficientes.

Benefícios

De acordo com o gerente de enfermagem, Manuel Roque, o parto na água apresenta muitas vantagens para as mães.

“A principal vantagem do parto na água é a diminuição das dores. A água morna, por volta dos 37 graus, proporciona relaxamento muscular profundo, o que ajuda a atenuar as contrações. Esse efeito anestésico da água geralmente abrevia o trabalho de parto e diminui a necessidade de intervenção médica. A água também proporciona uma sensação de leveza, o que aumenta a mobilidade da mulher, que poderá escolher a melhor posição para a dar à luz”, disse o gerente.

O enfermeiro acrescenta que a técnica também reduz a sensação de cansaço e, por ser parto normal, apresenta uma recuperação mais rápida. Uma grande vantagem do parto na água é a participação ativa da mulher em todos os momentos, o que proporciona mais segurança e satisfação pessoal para a mãe.

Anúncio