‘Boi Manaus’ inicia na Ponta Negra com estreantes e ícones do boi-bumbá

A energia e o ritmo dos dançarinos e levantadores de toadas ao som de clássicos e sucessos de Caprichoso e Garantido são o diferencial das apresentações

Manaus – A tradicional festa promovida pela Prefeitura de Manaus para celebrar o aniversário de 350 anos da cidade coloriu o percurso da Avenida Coronel Teixeira, na Ponta Negra, nas cores do boi-bumbá desde às 16h desta quarta-feira (23). Klinger Júnior e Grupo Kuarup abriram o espetáculo, comandando o trio Camaleão.

A festa organizada pela Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult) e que na gestão do prefeito Arthur Virgílio Neto passou a ser realizada na Ponta Negra, já iniciou contagiando o público que estava no local. A energia e o ritmo dos dançarinos e levantadores de toadas ao som de clássicos e sucessos de Caprichoso e Garantido são o diferencial das apresentações.

A festa é organizada pela Manauscult e ocorre na Ponta Negra (Foto:Divulgação/Manauscult)

Presente no evento, ao lado da mãe e da filha, a decoradora Elúsia Tavares, fã do Boi Caprichoso, disse que sempre vai ao evento para prestigiar o irmão, dançarino do grupo Kuarup. “Ele dança todo o ano e sempre estamos acompanhando. O boi é uma cultura que achamos maravilhosa e ficamos felizes em saber que nossa cidade está completando 350 anos e segue valorizando isso”, disse.

Os artistas finalizaram a apresentação entoando ‘Rostinho de Anjo’, uma das mais conhecidas toadas do festival de Parintins.  Após sua estreia como cantor solo no Boi Manaus, Klinger Júnior destacou que a sensação é de emoção e felicidade.

“Foi meu primeiro ano no evento, depois de ter passado na seletiva. Nas outras edições, sempre acompanhei outros trios, fazendo apoio para outros artistas. Hoje foi especial e eu estou muito feliz. Foi uma emoção única dividir a minha arte com essa galera incrível, nessa festa que já é tradição na cidade”, disse Klinger, revelando também que, para sua apresentação, disse ter se inspirado no ídolo da nação azulada, Arlindo Jr., e no pai, o ‘Furacão do Boi’, Klinger Araújo.

Clássicos do Garantido

Avermelhados, os cantores Robson Jr. e Hellen Veras embalaram o público, principalmente os torcedores rubros, entoando clássicos e grandes sucessos do Boi da Baixa do São José, como ‘Vermelho’, ‘Parintins para o mundo ver’, ‘Os Camisa Encarnada’ e ‘Miscigenação”.

Além da técnica vocal, os artistas também se preocuparam com as indumentárias para subirem no trio. Usando figurinos alusivos às celebrações folclóricas e tribais, os artistas também falaram sobre a preservação da Amazônia durante o show.

“É uma honra estar, mais uma vez, compondo o elenco dessa belíssima festa que comemora o aniversário da cidade. Eu e o Hellen somos uma parceria que deu muito certo. Trouxemos o trio mais vermelho e branco de hoje, do nosso Boi Garantido. Mas, estamos aqui representando também a nossa fauna e flora e em defesa da Amazônia, importantíssima para todos nós”, pontuou Robson.

Inclusão

O terceiro trio a entrar no circuito do Boi Manaus trouxe a participação de pessoas com deficiência entre os destaques. Ideia do levantador do Garantido, Carlos Batata, que, há dois anos, apresenta o tema ‘Legal é ser diferente’ na festa da cidade.

O céu da Ponta Negra já exibia tons de rosa, laranja e roxo, avisando que a noite logo chegaria, deixando o espetáculo do artista, que dividia o trio com o grupo A Toada, ainda mais bonito. O show inclusivo contou com a participação da Associação de Deficientes Físicos do Amazonas (Adefa), da Associação de Pais e Amigos do Down no Amazonas (Apadam) e da comunidade autista.

“Este é o segundo ano que estamos participando. O Carlos Batata é um pioneiro nessa questão, de trazer a inclusão para o Boi Manaus, que é um tema muito importante. A sociedade precisa se conscientizar de que essas pessoas podem estar em qualquer lugar. É uma questão de dar oportunidade, pois elas são capazes de fazer qualquer coisa”, frisou o presidente da Apadam, Osmar Santos.

Ainda no percurso, o A Toada fez uma homenagem aos levantadores que explodiram o ritmo do boi-bumbá na década de 90, levando hits de Arlindo Jr., Klinger Araújo, Carlinhos do Boi e muitos outros artistas.

350 anos

No dia em que Manaus comemora os 350 anos, 24 de outubro, o Boi Manaus vai apresentar ao público, também a partir de 16h, o show dos artistas Márcia Siqueira e Mara Lima; Paulinho Viana, Júnior Paulain e Marujada de Guerra; Edilson Santana e Carrapicho; Klinger Araújo e Fabiano Neves; Edmundo Oran, Israel Paulain, David Assayag; e Leonardo Castelo e Batucada.