Campanha busca evitar a descoberta tardia de casos de hanseníase, em Manaus

Cerca de 47% dos pacientes só descobriram a infecção quando já apresentavam deformidades visíveis, afetando a função de olhos, mãos ou pés

Manaus – Do total de 128 novos casos de hanseníase notificados no ano de 2017 no município de Manaus, 47,65% dos pacientes só descobriram a infecção quando já apresentavam deformidades visíveis, afetando a função de olhos, mãos ou pés. A partir da análise dessa informação e considerando que os sintomas iniciais da doença podem levar até sete anos para se manifestar, a Prefeitura de Manaus informou que vem priorizando cada vez mais as ações para a detecção precoce da hanseníase.

Esse trabalho está sendo fortalecido pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), dentro da programação do Janeiro Roxo, campanha de conscientização para o combate à hanseníase, com atividades educativas, rodas de conversa, intensificação na oferta de exames dermatológicos e consultas médicas e busca ativa de pacientes com sintomas da doença.

Campanha Janeiro Roxo conscientiza para o combate à hanseníase (Foto: Divulgação/Semsa)

 

Anúncio