Cerca de 6 mil Carteiras de Identidade de crianças ainda estão nos PACs de Manaus

O documento deve ser retirado pelos pais/responsáveis que devem fazer o resgate mais rápido possível

Manaus – Mais de 18 mil Carteiras de Identidade Nacional (CINs) continuam disponíveis para retirada nas unidades do Pronto Atendimento ao Cidadão (PAC), em Manaus. Desse total, cerca de 30% (quase 6 mil) são de crianças de zero a 12 anos. Os dados são do Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC), coordenado pela Secretaria de Segurança Pública do Estado do Amazonas (SSP-AM).

(Foto: Nonato Rodrigues/SSP-AM)

A SSP-AM reforça que o antigo Registro Geral (RG) tem validade até 2032 e neste momento só é recomendado solicitar a CIN quem está sem o documento em decorrência de sinistros, perdas, roubo ou está com a identidade com rasura ou mal conservada.

De acordo com a diretora do DPTC, Margareth Vidal, o acumulado de CINs emitidas para menores de até 12 anos se aproxima de seis mil unidades. Ela lembra que o documento deve ser retirado pelos pais/responsáveis da criança.

“É um número alto. Nós temos hoje em torno de 18 mil carteiras espalhadas pelos PACs que os usuários não vieram buscar. Dessas 18 mil, quase 6 mil carteiras são de crianças e adolescentes. Então é importante que os pais lembrem que essas carteiras estão à disposição para fazerem o resgate o mais rápido possível”, disse Vidal.

De acordo com Margareth Vidal, a alta demanda da CIN para este público ocorre, segundo as justificativas dos pais, por questões escolares ou obtenção de benefícios governamentais. “Em todos os PACs nós temos esse cenário. Os pais têm interesse em fazer a Carteira de Identidade dos filhos e essa é uma atitude extremamente correta, mas considerando a questão da idade e da necessidade também”, destacou.

A diretora do DPTC informa que nada impede os pais de solicitarem a CIN para os filhos, mas esclarece que o sistema pode não concluir a coleta de dados das crianças de até cinco anos devido à imaturidade das impressões digitais.

“Crianças de zero a cinco anos não têm obrigação nenhuma de emissão da CIN. A gente reforça que nessa idade os desenhos das impressões digitais ainda são muito pequeninos e os equipamentos não conseguem registrar adequadamente”, explicou.

Conforme Vidal, a Certidão de Nascimento é considerada o documento oficial das crianças.

Anúncio