Cientista reforça alerta para segunda onda da Covid-19 no AM

Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas confirma transmissão ativa em Manaus e diz que “todos os lugares ainda representam risco”

Manaus – Alerta da segunda onda da Covid-19 no Amazonas não impediu a volta às aulas na última segunda-feira(10). Segundo a pesquisa do cientista Lucas Ferrante, Manaus ainda não está imune ao vírus, que continua ativo na capital. A informação foi confirmada hoje (14) em coletiva, pela diretora-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), Rosemary Costa Pinto.

(Foto: Marcelo Camargo/ABr)

“Nós temos casos que foram oriundos de transmissão comunitária que é o que está acontecendo ainda em Manaus. Nós ainda temos transmissão ativa em Manaus. Quando falamos da Covid-19 em Manaus, temos que entender que todos os lugares ainda representam risco”, disse durante coletiva sobre o balanço da primeira semana de aulas na rede pública de ensino.

A pesquisa, que alerta sobre a segunda onda da Covid-19, foi contestada pelo vereador e farmacêutico Marcelo Serafim. Na última terça-feira (11), em sua rede social, ele disse que a pesquisa não tinha fundamento científico e possuía interesse político. Marcelo completou dizendo que a divulgação da informação gerou pânico na população.

“A partir do dia primeiro de abril, tínhamos uma variante de internações de 40 a 70 por dia. Quando olhamos o final do mês de julho e inicio de agosto, as internações variam de 8 a 6 por dia. Então, infelizmente algumas pessoas utilizam a ciência para espalhar notícias mentirosas. Quero dizer a estas pessoas que se dizem cientistas falarem mentiras, elas serão desmentidas por mim”, concluiu.

Em resposta a acusação, Lucas Ferrante lembra que a pesquisa possui mais sete co-autores, um deles, é o matemático Alexander Steinmetz, considerado um dos mais respeitados estatísticos epidemiológicos do País. O outro é o médico que coordenou o ‘lockdown’ de Belo Horizonte  (MG), Unaí Tupinambás. Ainda segundo o cientista, a pesquisa foi publicada na revista Nature Medicine, um dos mais conceituados  periódicos de medicina do mundo.

“Ele disse que o estudo é politiqueiro e que não analisava os dados de maneira correta, mas ele fez uma interpretação completamente errada. Infelizmente, parece que ele não leu o estudo, porque o estudo menciona número de casos confirmados e o número de óbitos da FVS-AM e não internações, como ele diz. Não tem nada a ver com os dados que mencionamos”, disse.

O pesquisador disse, ainda, que Marcelo Serafim tentou desacreditar a pesquisa e que isso diz muito mais sobre o poder de interpretação do estudo. “Foi uma interpretação equivocada. Nosso estudo utilizou dados antes da FVS-AM anunciar que estava verificando casos antigos e confirmações. O artigo foi publicado dia 11 (de julho), mas ele foi submetido há muitas semanas atrás. A FVS-AM não tinha computado esses casos , então não é uma afirmação que faz muito sentido”, finalizou.

Conforme Boletim Diário da Covid-19, divulgado nesta sexta-feira(14) foram confirmados mais 975 casos da doença no Amazonas.

Anúncio