Coleta de amostras de DNA fortalece busca por pessoas desaparecidas no Amazonas

A coleta terá início no próximo dia 14 de junho. Os familiares de pessoas cujo desaparecimento foi cadastrado junto ao Plid-MPAM já estão sendo contatadas.

Manaus – O Ministério Público do Estado do Amazonas (MPAM), pela coordenadoria do Programa de Localização e Identificação de Pessoas Desaparecidas (Plid-MPAM), esteve reunido, no dia 18 de maio, com o secretário adjunto nacional de Segurança Pública (Senasp), Ronney Augustio Matzui Araújo, e membros do Comitê Gestor do Sistema Nacional de Identificação e Localização de Pessoas (Sinalid), para ultimar detalhes da Campanha Nacional de Coleta de Material Genético de familiares de pessoas desaparecidas. A campanha será lançada no dia 25 de maio, Dia Internacional da Criança Desaparecida, e visa contribuir para a identificação de pessoas encontradas mortas, cujos familiares não tenham conhecimento disso.

“A coleta é muito importante porque vai permitir o cruzamento de dados de pessoas encontradas mortas com dados de familiares de desaparecidos de todo o país, contribuindo, de forma rápida e segura não só para a identificação dos mortos, mas também para o encerramento de buscas que podem se prolongar por muitos anos. Trata-se de uma ferramenta tecnológica que efetivamente ajuda a localizar pessoas, sendo uma excelente estratégia que estamos implementando aqui no estado do Amazonas por meio do Plid”, observa o coordenador do PLID-MPAM, Promotor de Justiça João Gaspar Rodrigues.

Coleta de amostras de DNA fortalece busca por pessoas desaparecidas no Amazonas (Foto: Divulgação)

A coleta terá início no próximo dia 14 de junho. Os familiares de pessoas cujo desaparecimento foi cadastrado junto ao Plid-MPAM já estão sendo contatadas. Preferencialmente, devem ser cadastradas amostras da mãe e de outro parente em primeiro grau, como pai, irmão ou filho. Cada amostra será associada a um marco de referência, ou seja, a qualquer objeto de uso pessoal do desaparecido que contenha traços genéticos dela. No Amazonas, a campanha vem sendo operacionalizada pelo Plid-MPAM em parceria com o Laboratório de Genética Forense do Instituto de Criminalística do Amazonas. O material coletado será inserido no Banco Nacional do Perfil Genético.

Anúncio