Com pandemia e isolamento social, Manaus apresenta queda no número de crimes

Mesmo com queda no número de crimes, Manaus passou do quarto para o terceiro lugar na quantidade de mortes violentas

Manaus – Na manhã desta sexta-feira (31), a cúpula da segurança pública no Amazonas se reuniu, por volta das 10h, no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), para apresentar os indicativos de criminalidade no primeiro semestre de 2020.

(Foto: Luiza Maria Queiroz)

Segundo o secretário de segurança pública do Amazonas, coronel Louismar Bonates, Manaus fechou o primeiro semestre com queda de oito indicadores de criminalidade. O secretário deu destaque para queda de 3% nos casos de homicídios registrados.

Somente no mês de janeiro deste ano, a capital amazonense registou 117 mortes violentas, o que representa 60% na comparação com o ano passado. Questionado, Bonates atribui o aumento a dois meses atípicos em Manaus.

“Nós tivemos dois meses atípicos. Janeiro e fevereiro realmente tiveram aquela questão das guerras entre os grupos organizados, mas a partir de março, os números caíram significativamente” respondeu o secretário da SSP-AM. Queda pode ser atribuída ao pico da pandemia de Covid-19 no Amazonas.

Já com a diminuição do isolamento social, medida preventiva adotada contra a pandemia do novo coronavírus, o mês de junho e julho voltou a registrar homicídios e conflitos entre facções.

De acordo com o ranking das cidades mais violentas do país, produzido pelo Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública, Prisionais, de Rastreabilidade de Armas e Munições, de Material Genético, de Digitais e de Drogas (Sinesp), sistema que recolhe dados sobre a violência, do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Manaus subiu no ranking das cidades mais violentas do país passando do quarto para o terceiro lugar na quantidade de mortes oriundas desse tipo de crime.