Comandante do CMA fala sobre modernização da tropa com tecnologia

Durante celebração aos 63 anos do Comando Militar da Amazônia, foram homenageados civis, militares e instituições

Manaus – O Comando Militar da Amazônia (CMA) completa 63 anos de fundação, com solenidade militar realizada na noite desta quinta-feira (31), onde homenageou civis, militares e instituições. O comandante do CMA, Gen Ex César Augusto Nardi de Souza, falou sobre a missão em comandar a principal área estratégica, a pretensão de aumentar o efetivo e modernização da tropa com tecnologia.

As homenagens foram realizadas no Campo de Parada do Comando (Foto: Anamaria Leventi/Divulgação)

“O que estamos fazendo agora é trazendo o Sistema de Proteção de Fronteiras (Sisfron) para começar a atingir a Amazônia. Na próxima fase será encaminhado, não só o aumento efetivo, mas o aumento de tecnologia, serviço de inteligência e modernidade de nossas tropas”, disse.

As homenagens foram realizadas no Campo de Parada do Comando, na Avenida Coronel Teixeira, Ponta Negra, zona oeste de Manaus. O comandante do CMA falou sobre os desafios em liderar uma área tão estratégica para o Brasil.

“É uma grande alegria comandar o CMA, é uma realização profissional muito grande estar aqui e principalmente pela qualidade dos soldados, homens e mulheres que trabalham aqui”, declarou o comandante.

Sendo uma área estratégica, o CMA possui a região com a maior faixa de fronteira do Brasil. Ao todo são nove mil quilômetros de fronteira, fazendo limite com cinco países amigos. Segundo o comandante, o CMA vai investir em tecnologia para modernizar a tropa e, no momento, não há previsão para o aumento de contingente militar.

“Todos os militares que vêm para a Amazônia têm um carinho muito especial por essa região, têm um sentimento de defesa e desenvolvimento para essa região muito forte e essa é uma característica marcante que tem que ser sempre relembrada”, disse Nardi.

Anúncio