Comando Militar da Amazônia celebra ‘Dia da Vitória’

No dia que a humanidade celebra a rendição das forças nazi-facistas diante a 2ª Guerra Mundial, o Comando Militar da Amazônia (CMA) realizou solenidade com presença de militares

Manaus – No dia que a humanidade celebra a rendição das forças nazi-facistas diante a 2ª Guerra Mundial, o Comando Militar da Amazônia (CMA) realizou solenidade destinada a marcar ao marco histórico, conhecido como “Dia da Vitória”. A formatura ocorreu durante a manhã desta terça-feira (8), no Campo de Parada Coronel Jorge Teixeira, na sede do Quartel General do CMA, localizado na avenida Coronel Teixeira, bairro Ponta Negra, Zona Oeste de Manaus.

Além da Força Terrestre, estiveram presentes militares das Forças Aérea e Naval, como também dos representantes das forças Auxiliares. A guerra custou ao Brasil, entre mortos e feridos, aproximadamente 2 mil baixas, além de 34 navios afundados e 22 aviões abatidos. E com este sentido, durante a solenidade se prestam as homenagens aos brasileiros que doaram a vida para este marco histórico. Militares das Forças Armadas dos Estados Unidos da América (EUA) que estão em curso de preparação de oficiais Generais participaram durante a solenidade do ‘Dia da Vitória’ no CMA.

O Comandante do Exército Brasileiro, General de Exército Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, ao se pronunciar na ordem do dia – lida durante a solenidade no CMA – destacou que a participação do Brasil nesse momento histórico foi decisiva para a vitória aliada. “Nesse dia, 8 de maio, Dia da Vitória, é fundamental que não nos esqueçamos da herança e do legado a nós deixados por aqueles que empenharam suas vidas para assegurar o bem da humanidade e para sustentar os valores mais caros e altivos de nossa Pátria. A eles, o nosso eterno reconhecimento, a gratidão e, acima de tudo, o compromisso de honrar seus exemplos inspiradores na luta diária pela soberania e pelo congresso de nosso País”, concluiu.

Para o chefe do Estado Maior do CMA, General de Brigada Edson Skora Rosty, a participação do Brasil além de ser decisiva a vitória, também trouxe ensinamentos para as forçar. “Para nós brasileiros, vive o sentimento, pois o Brasil participou, e foi uma dificuldade muito grande para enviar esses militares, houve a preparação a seleção, e combatendo na Europa durante o inverno na região de montanha, então, a adaptação foi difícil, mas a contribuição foi grande, e tivemos muitos ensinamentos militares que assimilamos durante a guerra e o conflito mudou o planejamento das forças e tivemos ensinamentos em prol da democracia”, disse.

Anúncio