Comarca de Anori realiza julgamentos de crimes contra a vida

Os julgamentos foram organizados para atender as metas estabelecidas pela Estratégia Nacional de Justiça e Segurança Pública (Enasp), segundo o TJAM.

Manaus – Em Anori, Igor da Silva Bezerra foi condenado à pena de dois anos, em regime aberto, pela tentativa de homicídio contra o próprio irmão, Aldenir da Silva Bezerra. Segundo o Tribunal de Justiça do Estado (TJAM), o crime ocorreu por motivo fútil, em outubro de 2015. O julgamento dele e de outros cinco faz parte das metas estabelecidas pela Estratégia Nacional de Justiça e Segurança Pública (Enasp).

Ao todo, a Comarca de Anori realizou seis julgamentos de crimes contra a vida em pouco mais de uma semana. A pauta dos julgamentos, segundo o TJAM, foi organizada para atender as metas estabelecidas pela Enasp quanto à promoção de ações integrando políticas do Judiciário, Ministério Público, Polícias e Defensoria Pública.

A juíza do município, Bárbara de Araújo Folhadela, e o promotor, Luís Alberto Dantas Vasconcelos, condenaram quatro pessoas e absolveram outras duas.

Julgamentos

A condenação com maior tempo de reclusão aconteceu no terceiro dia de julgamento, 29, quando o réu Francisco de Oliveira da Silva foi condenado a nove anos e seis meses de reclusão, com regime inicial fechado, pelo homicídio qualificado de Antônio José Rocha Aquino, ocorrido em janeiro deste ano.

No dia 27, o réu Geleandro Moraes da Silva foi condenado a quatro anos de reclusão, com cumprimento inicial em regime aberto, pela tentativa de homicídio contra Antônio Silva Gomes, em janeiro deste ano.

No segundo dia julgamento, 28, Anderson Ferreira Marinho foi absolvido pelo Conselho de Sentença, que reconheceu ausência de participação na tentativa de homicídio contra José Júnior Perez Gomes, em 2011.

Já no dia 30, Francisco Rodrigues de Oliveira foi absolvido pelo Conselho de Sentença, que acatou a tese de legítima defesa no processo sobre a morte de José das Chagas Almeida, ocorrida em agosto de 2015.

A última sessão foi realizada no dia 4, segunda-feira, quando foi julgada a ação contra o réu Igor de Souza Nunes por tentativa de homicídio contra Renato Cardoso de Souza. Ele foi condenado a dois anos e quatro meses. Uma vez que já havia estado preso por 5 meses e 28 dias, restando a cumprir um ano e 10 meses da pena, cumprirá esse período final em regime aberto.

Anúncio