Conselho de Farmácia e Vigilância Sanitária interditam drogarias na zona norte de Manaus

Estabelecimentos estavam sem registro e sem responsável técnico, além de apresentarem diversos problemas sanitários e irregularidades como a venda de antibióticos sem receita

Manaus- Quatro drogarias da zona norte foram lacradas durante operação conjunta realizada, nesta quarta-feira (25), pelo Conselho Regional de Farmácia do Amazonas (CRF-AM) e pela Vigilância Sanitária da Prefeitura de Manaus (Visa-Manaus). Na semana passada, outras quatro drogarias irregulares ou clandestinas também foram lacradas, na zona leste de Manaus, por conta de diversas desconformidades com a legislação vigente.

A ação dá sequência ao conjunto de medidas adotadas pelos dois órgãos para coibir o comércio inadequado de medicamentos e produtos para a saúde e teve o apoio da Polícia Militar. Nos estabelecimentos fiscalizados nesta quarta, todos estavam sem registro válido junto ao CRF-AM e sem um responsável técnico, já que todas as drogarias precisam ter farmacêutico trabalhando durante todo o horário de funcionamento.

Os locais também apresentavam outras irregularidades, como a venda de antibióticos sem receita, fracionamento de medicamentos, temperaturas inadequadas para o armazenamento de remédios, más condições sanitárias e até venda de medicamentos de uso hospitalar, que não poderiam ser comercializados em farmácias.

A fiscal farmacêutica do CRF-AM, Daiane Freitas, afirmou que todos os estabelecimentos lacrados nesta quarta-feira são reincidentes e seus proprietários já vinham sendo alertados das irregularidades. “Que isso sirva de alerta a todos os estabelecimentos que estão irregulares para que façam a devida regularização para evitar que o local seja fechado. Nós estamos com apoio da Visa Manaus e do Ministério Público e vamos passar naqueles locais que estão ilegais”, alertou.

Em um dos locais fiscalizados, no bairro Cidade de Deus, serviços farmacêuticos como medição de glicose e aferição de pressão arterial eram feitos sem um responsável técnico. De acordo com a farmacêutica Luciana Don, fiscal de saúde da Visa Manaus, a drogaria já possuía um histórico de irregularidades e pode receber multas de até 200 UFMs (Unidade Fiscal do Município, cada uma no valor de R$ 101,78).

“Ela já sofreu interdição no ano passado e está sofrendo outra agora. A não presença do farmacêutico coloca em risco todos os serviços oferecidos. Os medicamentos são comprados de distribuidoras irregulares e não se pode nem comprovar a procedência desse remédio, gerando riscos pra população”, analisou a profissional.

De acordo com a fiscal do CRF-AM, a população deve evitar comprar medicamentos em locais claramente inadequados e que não tenham a presença de um farmacêutico. “Você coloca sua vida em risco fazendo isso, porque você não sabe a procedência daquele medicamento. Procure estabelecimentos regulares e com um farmacêutico responsável, pois ele é o profissional orientado a prestar todos os esclarecimentos necessários”.

Todos os estabelecimentos lacrados devem procurar tanto a Visa Manaus quanto o CRF-AM para efetuarem a devida regularização antes de retomarem as atividades.

Anúncio