CRF-AM autua 15 estabelecimentos no interior do Estado

Fiscalização do Conselho Regional de Farmácia do Estado do Amazonas (CRF-AM) ocorreu nos municípios de Itacoatiara, Urucurituba e Rio Preto da Eva

Manaus – Quinze estabelecimentos foram autuados durante uma fiscalização do Conselho Regional de Farmácia do Estado do Amazonas (CRF-AM) nos municípios de Itacoatiara, Urucurituba e Rio Preto da Eva. As vistorias ocorreram entre os dias 7 e 11 deste mês. Os autuados têm o prazo de cinco dias para apresentarem as defesas.

Ao todo, foram fiscalizados 80 estabelecimentos. Segundo a fiscal farmacêutica do CRF-AM, Inez Barancelli, é possível notar um crescimento da regularidade dos estabelecimentos, devido a ações anteriores do Conselho. No entanto, algumas apresentaram irregularidades.

A partir da autuação os donos dos estabelecimentos têm o prazo de cinco dias para prestar esclarecimentos, por escrito, junto ao CRF-AM. (Foto: Divulgação)

Em todos os municípios foram observadas infrações como falta de climatização ou insuficiente para resfriamento de medicamentos, além das instalações precárias, área de aplicação de injetáveis sem condições de higiene e sem equipamentos adequados, fracionamento irregular e comercialização de antibióticos sem controle.

A fiscal ressaltou que nesta fiscalização foram priorizados estabelecimentos considerados irregulares. “Focamos naqueles que já temos anotações de que são clandestinos, que não tem registro no conselho. Fizemos, ainda, a verificação da assistência dentro do horário que o farmacêutico declara que vai estar lá, que nestes locais são de 4h”, explicou.

A partir da autuação os donos dos estabelecimentos têm o prazo de cinco dias para prestar esclarecimentos, por escrito, junto ao CRF-AM. A defesa é levada à plenária, onde será julgada. “Nos casos de improcedência, o autuado recebe uma multa que varia de 1 a 3 salários mínimos conforme a reincidência. É montado o processo e o setor jurídico tomará as providências cabíveis”, destacou.

Itacoatiara

No última quarta-feira (8), o Ministério Público, juntamente com representantes do Corpo de Bombeiros, Vigilância Sanitária, além dos Conselhos Regionais de Medicina, Farmácia e Enfermagem, realizaram vistoria no Hospital Regional daquele município.

Foi constatada a existência de graves problemas estruturais que vão, desde a falta de extintores de incêndio e certificado de vistoria do Corpo de Bombeiros, até equipamentos essenciais inoperantes ou funcionando em desacordo com as normas técnicas. Os técnicos verificaram que a centrífuga do laboratório de análises clínicas funciona com seringas plásticas improvisadas no lugar dos tubos adequados. Máquinas avariadas também prejudicam a esterilização de materiais, gerando risco de contaminação.

Denúncias

A recomendação do Conselho Regional de Farmácia do Amazonas é de que os pacientes sempre procurem farmácias em boas condições sanitárias e com um farmacêutico presente no momento do atendimento. Denúncias podem ser feitas pela internet e pelos telefones  3584-4042 e 3584-3732.

Anúncio