Defesa Civil coloca 12 municípios de três calhas em ‘Estado de Atenção’

A preocupação é de que o Amazonas está no início do processo de enchente, com as cotas elevadas para o período, e ainda haverá, aproximadamente, três meses de chuva, o que é considerado normal para esta estação na região amazônica

Tabatinga está entre os municípios em ‘Estado de Atenção’ (Foto: Divulgação)

Manaus – A Defesa Civil do Amazonas, por meio do Centro de Monitoramento e Alerta (Cemoa) do órgão, emitiu, nesta sexta-feira (11), o status de ‘Estado de Atenção’ para 12 municípios das calhas do Alto Solimões, Médio Solimões e Purus em função do elevado nível dos rios para o período, em consequência da quantidade significativa de chuvas.

O ‘Estado de Atenção’ é o primeiro estágio de desastre natural. Esse é o momento em que as defesas civis municipais devem adotar os procedimentos preparatórios para um possível evento extremo de inundação, identificando áreas que podem ser atingidas, com previsão de afetados, danos e prejuízos econômicos. A Defesa Civil do Estado atua de forma integrada com agentes de Defesa Civil nos municípios que estão preparados para atender de forma rápida a qualquer eventual desastre que possa ocorrer.

A preocupação, neste momento, da Defesa Civil do Estado é de que o Amazonas está no início do processo de enchente, com as cotas elevadas para o período, e ainda haverá, aproximadamente, três meses de chuva, o que é considerado normal para esta estação na região amazônica.

A ‘Atenção’ abrange as seguintes calhas e municípios: Calha do Purus (Canutama, Lábrea, Tapauá e Beruri), Calha do Alto Solimões (Tabatinga, Benjamin Constant, São Paulo de Olivença e Atalaia do Norte) e Calha do Médio Solimões (Coari, Fonte Boa, Tefé e Jutaí).