Defesa Civil intensifica monitoramento de áreas de risco

Incidência de fortes chuvas para a última semana do ano levou o órgão a intensificar o monitoramento em pelo menos 734 locais, na capital

Manaus – A Defesa Civil de Manaus tem monitorado diariamente áreas de risco da capital e, nesta época do ano, quando as chuvas são mais fortes e recorrentes, o monitoramento está sendo intensificado em pelo menos 734 locais.

A previsão, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), para a última semana do ano, em Manaus, é de fortes chuvas. Segundo o meteorologista do Inmet, Mamedes Luiz Melo, as chuvas estão acima da média devido a dois fenômenos conhecidos como a Alta da Bolívia e Vórtice Ciclônico de Altos Níveis (VCAN).

Com o aumento da chuva, segundo a Defesa Civil, o solo fica saturado aumento o risco de alagações, desmoronamentos, deslizamentos, transbordamento de igarapés e tombamento de árvores.

Como prevenção, a Defesa Civil alerta a população que mora em áreas de riscos para redobrarem os cuidados. Em situação de forte chuva a orientação é deixar de imediato a residência e ligar para o 199, número de atendimento da Defesa Civil.

Segundo o órgão, as zonas norte e leste registram o maior número de ocorrências e áreas monitoradas. Os bairros Mauazinho e Jorge Teixeira são alguns dos monitorados e com maior número de locais de risco.

O órgão está intensificando o monitoramento de áreas de risco em toda a cidade (Foto: Divulgação)

O condutor também precisa ter cuidado neste período. No trânsito é recomendado que o motorista estacione o carro e espere minimizar a chuva. Além de colisões, é comum a Defesa Civil registrar o tombamento de árvores e destelhamento – em decorrência de fortes ventos – que podem atingir os veículos.

Os cuidados também devem ser redobrados para quem não mora em área de risco. A Defesa Civil orienta que as pessoas não saiam de casa durante as fortes chuvas. É recomendável ficar dentro da residência, principalmente, por causa dos raios.

Monitoramento 
Segundo informações da Defesa Civil, o trabalho de monitoramento desses locais tem sido feito com a ajuda da população por meio dos Núcleos de Proteção e Defesa Civil nas Comunidades (NUPDECs), formados por voluntários que moram em áreas consideradas de risco. Além dos voluntários, a Prefeitura de Manaus determinou a formação de um Grupo de Pronta Resposta (GPR) para atuar, principalmente, no suporte aos moradores de áreas de risco.

Recentemente foram formados 80 voluntários que passaram por treinamento com noções de defesa civil, primeiro socorros e intercepção de risco. O treinamento contou com a participação do Serviços de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) e Limpeza Pública (Semulsp).

De acordo com a Defesa Civil, o GPR vai trabalhar na busca da pronta resposta aos danos causados pelas chuvas, baseando em informações prévias monitoradas pelo Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam) e rede de Meteorologia da Aeronáutica (Redemet), no que facilita a presença de chuvas e tempestade com três horas de antecedência.

Anúncio