Servidores que estavam da lista de vacinação enviada pelo Governo são exonerados

Diretora de hospital e servidor da Casa Civil são uns dos exonerados. Motorista do governador e empresários contratados pelo Estado também estão fora de lista prioritária

Manaus – Após a polêmica envolvendo pessoas que teriam sido vacinadas indevidamente e constam na lista prioritária de imunização em Manaus, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) exonerou servidores. Com determinação do secretário Marcellus Campêlo, foi exonerada a diretora do Hospital e Pronto-Socorro da Criança da Zona Leste, Michele Adriane Pimentel Afonso.

A exoneração aconteceu depois que uma investigação da SES-AM apontou que a diretora incluiu indevidamente à lista prioritária, o nome do servidor da Casa Civil, Geberson Oliveira Lima, que não faz parte do grupo prioritário. O servidor foi exonerado por determinação do governador do Amazonas Wilson Lima.

Outros nomes que levantaram suspeita após a divulgação da lista de vacinação foi do motorista do governador e de empresários contratados pelo Estado, que estão fora da lista prioritária determinada pelo Ministério da Saúde.

A Prefeitura de Manaus já havia informado à Justiça Federal que apenas executa a vacinação e que a lista para a imunização dos servidores estaduais lotados nas unidades de saúde é de competência do governo do Estado.

A juíza Jaiza Fraxe determinou a divulgação diária da lista de vacinados em Manaus, em ação civil pública movida por órgãos ministeriais, defensorias e o Tribunal de Contas do Estado.