Do início animador no Peru ao fim trágico em Coari: confira as mensagens de Emma Kelty

Ao longo do percurso, a britânica mandava mensagens por meio de um comunicador

Manaus – A canoísta britânica Emma Tamsin Kelty, de 43 anos, preparou por cerca de cinco meses sua viagem pela Amazônia. A aventura, que começou no dia 20 de junho deste ano, nos Andes peruanos, terminou de forma trágica em Coari, no dia 13 de setembro.

Ao longo do percurso, a britânica mandava mensagens por meio de um comunicador, via satélite, que está disponível na internet. As mensagens eram enviadas desde o Peru. Ao chegar no Brasil, Emma começa a perceber a presença de pessoas interferindo na jornada.

A cada mensagem, o equipamento comunicador registrava e enviava a latitude e longitude do local, a velocidade em milhas náuticas por hora, o status da bateria do equipamento e a elevação em relação ao nível do mar em que a britânica estava. As atualizações estão no horário de Brasília.

Leia mais:

Em Manaus, suspeitos do assassinato da atleta britânica são encaminhados a presídio

Queriam “matar para roubar”, diz delegado adjunto sobre morte de britânica

Suspeitos de participar do assassinato de britânica são transferidos para Manaus

Caiaque de britânica desaparecida no AM é encontrado; buscas continuam

Britânica que praticava canoagem no Rio Solimões foi vítima de latrocínio, diz polícia

Antes de sumir, britânica disse no Twitter ter avistado homens armados no Rio Solimões

Britânica que praticava canoagem no Rio Solimões foi vítima de latrocínio, diz polícia

Amazonenses pedem desculpas à família da atleta britânica nas redes sociais

Anúncio