Egresso da Ufam cria equipamento de proteção para dentistas

O equipamento é uma barreira física, feita de acrílico, que impede o contato do profissional da saúde com a saliva (perdigotos) do paciente

Manaus – O egresso do curso de Administração da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), em Parintins (a 369 quilômetros a leste da capital), empresário Fram Canto, desenvolveu o ProtecMax Odonto para proteger dentistas e pacientes durante o atendimento. O equipamento é uma barreira física, feita de acrílico, que impede o contato do profissional da saúde com a saliva (perdigotos) do paciente. Esse é o segundo equipamento de proteção criado por Fram Canto durante a pandemia.

De acordo com o empresário a ideia surgiu depois da criação e sucesso da cápsula de Hood. “Com o bom desempenho da cápsula de Hood, fui procurado por alguns dentistas interessados em um equipamento similar. Decidi pensar em algo que protegesse esse profissional e fosse de fácil higienização. Observei o modo de atendimento do dentista e propus um equipamento confortável tanto para quem atende quanto para o paciente. Foi assim que surgiu o ProjectMax Odonto”, explica.

A criação da barreira de proteção foi criada pelo empresário parintinense Fram Canto (Foto: Divulgação)

O egresso recorda que a dificuldade de acesso aos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) o motivou a pensar em alternativas. “Os grandes centros urbanos estão com dificuldades de conseguir EPIs para comprar e não é diferente no interior do País. Aqui em Parintins, tentamos comprar a primeira vez, assim que começou a pandemia, sem sucesso. Decidi, então, aliar a minha experiência no setor gráfico e de malharia com a necessidade de proteger os profissionais da saúde. Começamos com a produção de uma máscara com três camadas, prensada a 280 graus. Em seguida, fizemos o protetor facial de acrílico e acetato, batas, capotes até que chegamos na cápsula de Hood”, conta.

O empresário também coordena na cidade o projeto ‘Todos Contra o coronavírus’, responsável por doar mais de 40 mil reais em EPIs na região do Baixo Amazonas. “A ideia é contribuir com produção de Equipamentos de Proteção Individual para os profissionais que estão trabalhando na linha de frente. Entregamos os itens de proteção para os hospitais, postos polícia, bombeiros e outros setores diretamente ligados ao enfrentamento da Covid-19. Para a produção, tivemos ajuda financeira de muitos amigos e da Primeira Igreja Batista de Parintins”, diz.

Fram Canto lembra que a universidade teve um papel significativo na sua formação. “Sempre quis cursar Administração e pude realizar esse desejo sem sair de Parintins. Aliei o conhecimento científico e teórico com as minhas experiências práticas. Hoje, faço gestão da minha empresa e consigo contribuir com a cidade”, finaliza.