‘Ele estrangulou a Myrella antes de estuprar’, diz primo da menina morta pelo padrasto no AM

Em entrevista ao GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (GDC), o primo da menina cobrou da Secretária de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) a transferência do padrasto para uma unidade prisional

Manaus – Geibson Martins, primo de Myrella Eliza da Costa Lima, de 11 anos de idade, que foi assassinada com mais de 20 facadas, na tarde desta quarta-feira (17), no município de Eirunepé (a 1.160 quilômetros a sudoeste de Manaus), revelou ao GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (GDC) que, além de ter sido estuprada e morta a facadas, o autor do crime, o padrasto de 28 anos, que vivia há quatro anos com a mãe de Myrella, estrangulou a menina antes do assassinato.

Myrella Eliza, 11, foi estuprada e morta com mais de 20 facadas pelo padrasto, no AM (Foto: Divulgação)

Durante entrevista ao GDC, ele contou que a faca do crime foi vista várias vezes no quarto do criminoso. Geibson acredita que o crime foi premeditado, pois além da faca, o suspeito ameaçou a menina, que esperou o avô voltar de viajem para avisar sobre as ameaças, mas não teve tempo.

“Na verdade já faz quatro anos que a mãe da Myrella tinha esse relacionamento com esse ‘monstro’. Há algum tempo nossos tios, que são mais próximos, já haviam relatado à mãe que algo estava acontecendo, mas ela não deu ouvidos”, disse o primo.

De acordo com o Geibson, a família não quer fazer justiça com as próprias mãos e cobra da Secretária de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) e do governador do Estado para que o suspeito do crime seja transferido de imediato para uma unidade prisional.

“Gostaria que a SSP e até o governador fizesse algo. E exigisse que esse ‘monstro’ seja transferido o mais rápido possível para prisão”, finalizou emocionado.

Anúncio