Em 11 dias de campanha, prefeitura ultrapassa meta de vacinação contra H1N1

A campanha começou no dia 20 de março e continua sendo realizada em todas as salas de vacinação das UBSs. Crianças, grávidas e indígenas são os grupos que ainda não atingiram a meta

Manaus – Em 11 dias de campanha, a Prefeitura de Manaus conseguiu ultrapassar a meta de vacinação contra a Influenza A (H1N1), alcançando 91% do público-alvo em geral, estabelecido pelo Ministério da Saúde (MS). Foram vacinadas 409.574 pessoas, do total de 455.083. A campanha começou no dia 20 de março e continua sendo realizada em todas as salas de vacinação das Unidades Básicas de Saúde (UBSs). Crianças, grávidas e indígenas são os grupos que ainda não atingiram a meta de vacinação.

Prefeito Arthur Virgílio Neto acompanhou a campanha de vacinação (Foto: Raquel Miranda/GDC)

Segundo o titular da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), Marcelo Magaldi, a meta foi alcançada nesta segunda-feira (1º), por volta de meio dia. Apesar de ter atingido a meta geral, Magaldi afirmou que a campanha precisa atingir, ainda, 90% em crianças e gestantes. A meta da secretaria é vacinar 17 mil crianças e sete mil grávidas.

“Agora, iremos às escolas, intensificar a campanha. Pedimos aos pais e responsáveis que levem as crianças, de seis meses a seis anos incompletos, a uma das nossas Unidades Básicas de Saúde”, disse.

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, afirmou que, para atingir a meta em crianças e gestantes, serão divididos grupos para vacinar em creches, Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs), escolas de Ensino Fundamental, além de maternidades.

“Nós vamos falar com ginecologistas e pedir a eles que indiquem as pessoas para nós, pois precisamos bater a meta, pelo menos, em cada uma. Nós atingimos poucos indígenas e, agora, iremos junto com o órgão federal para fazermos essa complementação”, acrescentou.

Crianças fazem parte do grupo prioritário (Foto: Raquel Miranda/GDC)

Conforme dados da Semsa, nesses 11 dias, foram vacinadas apenas 65,53% das mulheres grávidas, do total de 29.702. Das crianças, de seis meses a menor de seis anos, foram vacinadas 155.229, o que equivale a 80,98%. No grupo de indígenas, apenas 25,12% foram imunizados.

No grupo de professores, foram vacinados 124,11% e no de idosos 102,60%. Já o grupo de cormobidade (quando duas ou mais doenças estão relacionadas) ultrapassou a meta, atingindo 101%. Os trabalhadores da saúde registraram apenas 86,27% da meta definida.

Após alcançar todas as metas, o prefeito disse que pretende pedir ao Ministério da Saúde que a vacina seja estendida para outros grupos, os quais ele também classifica como sendo de risco.

“Nós gostaríamos de poder atingir os feirantes, rodoviários, além do pessoal que trabalha em drenagem, em asfalto, que é um grupo que se expõe demais. Mas só iremos fazer isso quando atingirmos todas as metas prioritárias”, afirmou.

Após alcançar todas as metas, o prefeito disse que pretende pedir ao Ministério da Saúde que a vacina seja estendida para outros grupos (Foto: Raquel Miranda/GDC)

Dia D

No último sábado (30) foi realizado o ‘Dia D’ da campanha, no qual, de acordo com a Semsa, mais de 62 mil pessoas foram aos postos receber a vacina. Na ação, foram disponibilizadas pela Prefeitura 200 postos, em todas as zonas da cidade, e mais postos volantes que buscavam pessoas que ainda não haviam sido vacinadas, nas áreas classificadas como vazios assistenciais.

“O ‘Dia D’ foi um sucesso. Nós conseguimos vacinar muita gente, foi um resultado acima do esperado. Não houve tumulto, as unidades funcionavam de forma tranquila, não havia fila. Nossas equipes foram para as ruas, de casa em casa, e conseguimos atingir um resultado muito impressionante”, pontuou o secretário da Semsa, Marcelo Magaldi.

Número de casos

O informe epidemiológico de monitoramento de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), divulgado pela Semsa, nesta segunda-feira, apontou que foram notificados 788 casos, em Manaus, sendo 100 por Influenza A e 144 pelo Vírus Sincicial Respiratório (VSR), além de 11 casos com outros vírus respiratórios e 533 em investigação.

O monitoramento indicou, ainda, o registro de 25 mortes por Influenza, 11 pelo VSR e 20 óbitos por outro agente etiológico ou SRAG não especificado.

“Há uma semana não registramos nenhum óbito. O Estado é quem divulga, mas a informação que nós temos é que os casos estão reduzindo. Não podemos ainda comemorar. Só podemos comemorar quando não registrarmos nenhum caso e conseguirmos cumprir tudo o que estabelece o Ministério da Saúde”, ressaltou o titular da Semsa.

Anúncio