Encontro define planejamento de ações de prevenção e controle do tabagismo

Ações serão executadas na rede municipal de saúde

Manaus – Profissionais de 22 Ambulatórios de Tratamento de Fumantes estiveram reunidos nesta terça-feira (18) para alinhar as ações do Programa Municipal de Prevenção e Controle do Tabagismo, da Prefeitura de Manaus. A programação aconteceu na Universidade Paulista (Unip), no bairro Parque 10 de Novembro, zona centro-sul, sob a coordenação da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).

Conforme a gerente de Promoção da Saúde (GPROS) da Semsa, Francinara da Silva Lima, o encontro foi organizado para o planejamento das ações de prevenção e controle do tabagismo, que serão executadas este ano na rede municipal de saúde, com avaliação do trabalho já desenvolvido e definição de metas para fortalecer a qualificação dos serviços dos 22 Ambulatórios de Tratamento de Fumantes em Manaus.

Os Ambulatórios de Tratamento de Fumantes estão implantados em 22 unidades de Saúde localizadas nas zonas Norte, Sul, Leste, Oeste e Rural (Foto: Divulgação/Semsa)

blank “Para isso, reunimos coordenadores locais e distritais dos Ambulatórios de Tratamento de Fumantes, e coordenadores da Assistência Farmacêutica dos Distritos de Saúde Norte, Sul, Leste, Oeste e Rural. Foi realizada uma avaliação das ações de 2019, apresentação das metas para este ano e orientações sobre o preenchimento do mapa estatístico com informações padronizadas sobre o perfil das pessoas atendidas nos ambulatórios”, informa Francinara.

Os Ambulatórios de Tratamento de Fumantes estão implantados em 22 unidades de Saúde localizadas nas zonas Norte, Sul, Leste, Oeste e Rural, ofertando atendimento para pacientes que querem abandonar o uso do tabaco, utilizando técnica baseada na abordagem cognitiva comportamental e, quando necessário, o suporte medicamentoso.

“A orientação é para que cada ambulatório estabeleça três turmas ao ano, já que a duração do tratamento intensivo é de aproximadamente três meses, com acompanhamento mensal até completar um ano. A meta anual é que cada ambulatório possa acolher e sensibilizar 45 fumantes, distribuídos em três turmas. O atendimento envolve sessões individuais e em grupos de apoio, com uma equipe profissional multidisciplinar”, explica Francinara.

Demanda

A gerente destacou ainda que apenas 3% dos fumantes conseguem abandonar o uso do tabaco sem ajuda profissional, enquanto os Ambulatórios de Tratamento de Fumantes em Manaus atingem um índice médio de 50% de cessação do uso do tabaco entre os participantes. “Essa taxa de cessação é considerada alta porque estudos mostram que, entre as pessoas que procuram ajuda do profissional de saúde, o índice médio de abandono do cigarro é de 20% a 30%”, afirma.

A assistente social Amaríades Pinheiro Batista, que integra a equipe de profissionais do Ambulatório de Tratamento de Fumantes na Policlínica Anna Barreto, localizada na comunidade Monte Sião, zona norte, garante que é grande a demanda pelo serviço.

“A policlínica recebe pessoas das zonas norte e leste de Manaus, e algumas procuram atendimento por complicações de saúde, que têm no uso do tabaco uma das causas do adoecimento. São pacientes que procuram atendimento com cardiologista, mas o tabaco está associado a muitas outras doenças, desde situações de depressão, ansiedade, transtornos de humor, baixa imunidade e diferentes tipos de câncer”, destaca Amaríades.

Ela alerta ainda que o vício no uso do cigarro é tão forte quanto no caso do uso de maconha e cocaína, e por isso é essencial que a pessoa tenha determinação para abandonar o uso do cigarro.

“Com isso o programa de atendimento ao fumante pode ajudar muito porque trabalha questões de mudança cognitiva, de comportamento. Os encontros em grupo permitem o debate entre os participantes e a identificação com outras pessoas, quando é possível analisar as situações que disparam o uso do cigarro. Além disso, o tratamento ajuda a reduzir o choque que a retirada do cigarro causa no organismo, que é a chamada crise de abstinência, com o uso de medicação que é controlada e dispensada pelo médico”, afirma a assistente social.

Ambulatórios para Tratamento de Fumantes

Norte

1 – UBS Frei Valério – Rua Bom Jesus, s/nº, Novo Israel;

2 – UBS Sálvio Belota – Rua das Samambaias, 786, Santa Etelvina;

3 – UBS Armando Mendes – Rua 5, s/nº, conjunto Manoa;

4 – Policlínica Dr. José Antônio da Silva – Rua Aroeiras, 55, Monte das Oliveiras;

5 – Policlínica Anna Barreto – Avenida Grande Circular, s/nº, Monte Sião;

6 – UBS José Figlioulo – Rua Rios Arinos, s/nº, conjunto Viver Melhor, Lago Azul;

7 – UBS Balbina Mestrinho – Rua Major Silvério J. Nery (rua 170), Núcleo 3, Cidade Nova;

Sul

8 – Policlínica Castelo Branco – Rua do Comércio, s/nº, Parque 10 de Novembro;

9 – Policlínica Antônio Reis – Rua São Luiz, s/nº, São Lázaro (em reforma);

10 – UBS Petrópolis – Rua Delfim de Souza, s/nº, Petrópolis;

11 – UBS Nilton Lins – Avenida Professor Nilton Lins, lote 3, conjunto Parque das Laranjeiras, Flores;

Leste

12 – UBS Ivone Lima dos Santos, Rua 8, s/nº, Coroado 3;

13 – Policlínica Comte Telles – Rua J, s/nº, etapa B, bairro São José 3;

14 – UBS Dr. Alfredo Campos – Rua André Araújo, s/nº, Zumbi 2;

15 – UBS Amazonas Palhano – Rua Antonio Matias, s/nº, São José 2;

16 – UBS Mauazinho – Rua Rio Negro, 113, Mauazinho;

Oeste

17 – Policlínica Franco de Sá – Rua V, 150, no bairro Nova Esperança 1;

18 – Policlínica Djalma Batista – Rua 23 de Dezembro, s/nº, Compensa 2;

19 – UBS Deodato de Miranda Leão – Rua Presidente Dutra, s/nº, Glória;

Rural

20 – UBSR São Pedro, localizado no Km 35, da rodovia AM-010 (Manaus – Itacoatiara);

21 – UBSR Pau-Rosa, Km 21 da BR-174 (Manaus – Boa Vista), ramal do Pau-Rosa;

22 – UBSR Ephigênio Salles, Km 41 da rodovia AM-010 (Manaus – Itacoatiara).

Anúncio