Entidades exigem rápida investigação em caso de agressão contra jornalista Alex Braga

Jornalista e apresentador do programa AMAZONAS DIÁRIO, do GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (GDC), foi alvo de um atentado, na noite de quinta-feira (23)

Manaus – Horas após o atentado contra a vida do jornalista Alex Mendes Braga, apresentador do programa AMAZONAS DIÁRIO, do GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (GDC), diversas entidades do setor da imprensa emitiram nota de repúdio e exigiram uma rápida investigação do caso e respeitados veículos de comunicação do País divulgaram o crime.

Entre as entidades estão: a Associação Nacional de Jornais (ANJ), a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), a Associação Brasileira de Rádio e Televisão (Abratel), Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Amazonas e o Sindicato das Empresas Jornalísticas do Estado do Amazonas (Sineja). O jornal O Estado de S. Paulo publicou matéria sobre o atentado.

Entidades do setor da imprensa emitiram nota de repúdio e exigiram uma rápida investigação do caso (Reprodção)

“Na oportunidade, o Sineja cobra uma resposta rápida dos órgãos de Segurança do Estado de forma a impedir ações do tipo contra a liberdade de imprensa e o livre exercício do jornalismo no Amazonas”, detalhava parte da nota do sindicato patronal.

A publicação do Sineja deseja breve recuperação do jornalista Alex Braga e reforça total apoio ao tradicional grupo de comunicação da capital amazonense.

Já a ANJ ressaltou que “o atentado claramente visa intimidar o jornalista e o grupo de comunicação para o qual trabalha. É preocupante que a atividade jornalística seja alvo de violências como essa, pois elas atingem não apenas os profissionais da imprensa e as empresas de comunicação, mas sobretudo o direito da sociedade de ser livremente informada”, pontua o documento.

O caso

O jornalista Alex Braga, apresentador do programa AMAZONAS DIÁRIO, do GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (GDC), foi alvo de um atentado, na noite desta quinta-feira (23), após deixar a sede da empresa. O carro do comunicador sofreu uma forte colisão proposital na traseira, por volta das 21h15, na Avenida Djalma Batista, bairro Chapada, zona centro-sul de Manaus. Após a batida, ele foi agredido a socos.

O atentado ocorreu após série de denúncias do programa AMAZONAS DIÁRIO, que revelou as investigações sobre fraudes em contratos milionários envolvendo as diversas secretarias do Governo do Amazonas, em especial a de Saúde, com ampla cobertura da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa do Estado (ALE). O programa também cobriu todo o desdobramento da operação Sangria, que resultou na prisão da secretária da pasta, além de empresários e servidores.

Anúncio