Escola de saúde promoverá qualificação de médicos e enfermeiros; cem bolsas serão ofertadas

De acordo com a instituição, serão concedidas bolsas por meio do Probes, ofertando inicialmente residências em saúde, especializações, projetos de extensão e aperfeiçoamentos para profissionais

Manaus – Na tarde desta terça-feira (3), a capital do Estado passou a contar com a Escola de Saúde Pública de Manaus (Esap), que tem por objetivo propiciar aos profissionais da saúde a vivência prática do Sistema Único de Saúde (SUS) e também aprimorar o atendimento da sociedade em geral. A solenidade, que ocorreu na Escola de Serviço Público Municipal e Inclusão Socioeducacional (Espi), contou com a presença do prefeito Artur Virgílio Neto.

De acordo com Arthur, a Esap “será um marco na luta para se ter não muito longe daqui, 100% de cobertura básica na assistência de saúde”. “Teremos 100 bolsistas e usaremos com eles mais espaços livres da Unidade Básica de Saúde (UBS) e eles irão de casa em casa, levando o básico da assistência básica para termos um aproveitamento ainda melhor”, disse o prefeito, lembrando que a ideia da Esap partiu da Prefeitura de Palmas (TO). “Coisa boa é para ser copiada. Palmas tem o maior percentual de cobertura de assistência básica do País”, declarou.

Segundo Marcelo Magaldi, titular da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), a escola é um projeto de grande alcance social, pois a instituição irá oferecer cursos de residência e especialização não somente para médicos e enfermeiros da secretaria, mas também de não servidores. “Eles ganharão uma bolsa de estudos e todas as nossas UBSs irão servir de campo de prática para as aulas desses alunos. É um projeto grandioso onde ganha a sociedade, os servidores da Semsa e todos os médicos e enfermeiros que irão se apaixonar pela atenção básica”, salientou.

O secretário da Semsa ressaltou, também, que a lei de criação da escola foi editada em junho deste ano e o prefeito deve regulamentar as bolsas ainda neste mês de junho. Somente a partir disso é que serão feitas as seleções. “Nosso primeiro curso será ministrado na Universidade do Estado do Amazonas (UEA). Queremos selecionar os bolsistas ainda neste mês”, comentou.

Modus operandi

Cássia Veras será a diretora da Esap. Para ela, a instituição de ensino tem a ideia de proporcionar aos profissionais da saúde, “a vivência prática do Sus, o exercício prático da profissão e o aprendizado significativo da área da saúde, do modus operandi da saúde”. “Os cursos terão essa interface, esse cenário prático e produtivo. A ideia é fortalecer o ensino e também a comunidade”.

Até 2020 a escola pretende implantar Residência Uni em enfermagem e saúde da família. Além disso, a expectativa é de que os cursos durem de 24 a 36 meses e a seleção será realizada mediante a publicação do edital. “É algo inovador para o nosso município e estamos na expectativa de qualificar os serviços ofertados”. As aulas serão aplicadas em entidade de Ensino Superior que assinarem termo de cooperação técnica.

Anúncio