Espécie quase extinta, ariranhas estão de volta aos rios da Amazônia, revela estudo

Liderada pela bióloga Natália Pimenta, a pesquisa analisou sinais da presença de ariranhas na bacia do Rio Içana, no noroeste do Amazonas, onde ela havia sido considerada extinta

Manaus – Após serem quase extintas pela caça comercial, as ariranhas estão retornando a rios da Amazônia. Os últimos indícios da recuperação da espécie foram divulgados na última semana pela revista científica Biological Conservation. Liderada pela bióloga Natália Pimenta, a pesquisa analisou sinais da presença de ariranhas na bacia do Rio Içana, no noroeste do Amazonas, onde ela havia sido considerada extinta.

Após serem quase extintas pela caça comercial, as ariranhas estão retornando a rios da Amazônia. (Foto: Divulgação/Getty Images)

O estudo foi feito após outras pesquisas apontarem uma tendência de recuperação da espécie – com nome científico Pteronura brasiliensis – em diferentes partes da Amazônia, como a bacia do Solimões e a região da hidrelétrica de Balbina.

Maior carnívoro semiaquático da América do Sul, com até 1,80m quando adulta, a ariranha é um dos dois tipos de lontra encontrados no Brasil e está na Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação, entre as espécies consideradas ameaçadas de extinção.

O estudo no Içana teve início após membros do povo baniwa alertarem sobre o retorno das ariranhas a seu território, dentro da Terra Indígena Alto Rio Negro.

Presidente da Associação Indígena da Bacia do Içana, André Baniwa diz que moradores notaram os primeiros sinais da volta dos animais há dez anos, ao encontrar carcaças de peixes com mordidas de um bicho que não reconheciam.