Ex-funcionários da Susam ainda não receberam seus direitos trabalhistas

Grupo de profissionais reclama que suas rescisões ainda não foram homologadas e, por causa disso, não conseguem sacar o auxílio emergencial do governo federal

Manaus – Ex-funcionários da Secretaria de Estado de Saúde (Susam) se reuniram nesta segunda-feira (25) para reivindicar direitos trabalhistas em frente à sede do órgão, no bairro Aleixo, zona sul. Alguns dos servidores esperam há quatro anos pelo pagamento de suas rescisões, que ainda não foram homologadas e, por causa disso, não conseguem ter acesso ao auxílio emergencial do governo federal, recurso disponibilizado durante a pandemia do novo coronavírus.

A notícia foi exibida na edição desta segunda-feira do programa ‘Balanço Geral Manaus’, da Record TV Manaus (canal 36.1), apresentado por Clayton Pascarelli.

Ao todo, são três grupos de ex-funcionários da Susam que não trabalham mais no órgão e, mesmo assim, ainda tentam receber direitos trabalhistas. Um grupo foi exonerado em 2015, outro em 2017 – que conseguiu ter a rescisão homologada, chegou a receber alguns direitos trabalhistas, mas ainda faltam outros – e mais um grupo exonerado em 1º de junho de 2019.

Ex-funcionários desse último grupo foram até a sede da Susam nesta segunda (25) para tentar resolver as suas situações trabalhistas, já que muitos estão desempregados e precisam sacar o auxílio emergencial. O recurso, porém, foi negado porque os profissionais ainda possuem vínculo empregatício com o órgão, já que as suas rescisões ainda não foram homologadas.

“Quando ligamos [para o órgão] ninguém atende, ninguém nos dá uma resposta, ninguém nos recebe. Estamos correndo atrás dos nossos direitos porque não é privilégio, é um direito. E queremos uma resposta da secretária de Saúde para saber como vai ficar a nossa situação”, disse a ex-funcionária Ivaneide de Carvalho.

Em nota enviada à produção do ‘Balanço Geral’, a Susam informou que pediu apoio da Defensoria Pública do Estado para ajudar os ex-servidores a receber o auxílio emergencial. Segundo a secretaria, o problema aconteceu porque o banco de dados que o governo federal utiliza para liberar os pagamentos está desatualizado. A Susam diz ainda que esse problema não acontece somente no Amazonas, mas busca junto ao governo do Estado uma solução para o pagamento desses ex-funcionários.

Até a exibição da matéria, a produção do programa não recebeu resposta do governo federal sobre o banco de dados que se encontra, de acordo com a Susam, desatualizado.

Ex-funcionários da SUSAM dizem que não receberam direitos trabalhistas, o Allison Mota tem as informações, acompanhe a matéria exibida no #BalançoGeralManaus 📺

Posted by Record TV Manaus on Monday, May 25, 2020

Anúncio