Fametro dá suporte à saúde mental de PMs

Centro Universitário Fametro lançou projeto para valorizar a saúde mental e física dos policiais militares que atuam no CPA Leste, com profissionais egressos do curso de Psicologia

Manaus – Com o adoecimento físico e mental de policiais militares, resultado da extenuante a carga de trabalho, associada ao estresse e ao desgaste emocional, o Centro Universitário Fametro lançou projeto para valorizar a saúde mental e física desses policiais que atuam na zona leste de Manaus.

O curso de Psicologia coordenado pelo psicólogo Diego Cavalcante juntamente com o diretor da Fametro zona leste Gerson Nogueira, vai criar um projeto em ação conjunta com os profissionais egressos do curso para criar plano de emergência de apoio psicológico aos PMs. A iniciativa recebeu apoio da direção do Comando de Policiamento de Área (CPA) Leste ao entender que os militares que precisam desse suporte psicológico e estão esperançosos com o projeto.

“Por meio dos nossos egressos, professores e técnicos estamos dispostos a ajudar nossos policiais da zona leste oferecendo orientações gerais de como lidar com a saúde mental”, disse a reitora do Centro Universitário Fametro, Maria do Carmo Seffair, no lançamento do projeto, na última quinta-feira (22). Na ocasião foi ministrada a palestra ‘Saúde Mental: aprendendo a cuidar de mim’, proferida pela coordenadora de Pedagogia, a psicóloga Débora Nogueira.

No lançamento do projeto, psicóloga Débora Nogueira falou sobre ‘Saúde Mental: aprendendo a cuidar de mim’ (Foto: Divulgação / Fametro)

A saúde mental é definida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como “um estado de bem-estar em que o indivíduo está ciente e de suas próprias habilidades, pode enfrentar as tensões normais da vida, pode trabalhar de forma produtiva e capaz de contribuir com o coletivo”. Em outras palavras: é o equilíbrio do estado psicológico e emocional. De acordo com a OMS, em média 86% dos brasileiros sofrem com algum transtorno mental, como por exemplo a ansiedade, depressão e o estresse.

De acordo com o subcomandante da PM major Vital “é importante reconhecer que o trabalho tanto pode conduzir as pessoas à saúde, quanto à doença”, ao apontar a importância da profissão militar para a sociedade e destacar que o trabalho de preservação da saúde mental em conjunto com a Fametro é indispensável para o adequado desempenho rotineiro da atividade.

A OMS aponta que a atividade policial é a segunda mais perigosa do mundo, e no Brasil é ainda mais sujeita ao risco. A função também é altamente complexa, estressante, mal compreendida e com atuação abrangente, pois vai desde um parto feito pelo policial no interior de uma viatura, aplicação de socorros de urgência relacionados a várias situações, até salvamentos de várias espécies animais e orientações gerais à população.

Anúncio