Família fica desabrigada após homem atear fogo em casa de madeira, no Jorge Teixeira

De acordo com a mulher do suspeito, ele incendiou o local porque não aceitava o fim do relacionamento. Mulher e quatro filhos perderam todos os pertences e pedem doações

Manaus – Por não aceitar o fim do relacionamento, o carregador de cargas José Ferreira dos Santos, 35, ateou fogo na casa de madeira onde morava com a família, na tarde desta Sexta-Feira Santa (30), na Rua Poraquê, na terceira etapa do bairro Jorge Teixeira, zona leste da capital. Embriagado, o homem mandou a filha de 5 anos e os três enteados, de 10, 13 e 16 anos, saírem da residência e, em seguida, ateou fogo e permaneceu dentro no imóvel, conforme a dona de casa Marlucia Dantas da Silva, que é vizinha da família e presenciou o incêndio criminoso.

Casa teve perda total após incêndio, na zona leste de Manaus (Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)

O corpo de Bombeiros foi acionado para o local às 12h50, e conseguiu conter o fogo, mas a casa teve perda total e a família está desabrigada.

O carregador de cargas inalou fumaça, mas foi tirado da casa pelo enteado, de 16 anos, com a ajuda dos moradores, e depois, preso pelos policiais militares da 30 Companhia Interativa Comunitária (Cicom).

De acordo com a vizinha do suspeito, desde a noite de quinta-feira (29), José Ferreira estava consumindo bebida alcoólica no local, e prometendo atear fogo. “A mulher dele não estava em casa. Passou a noite bebendo e com o som alto. A tarde mandou todos os filhos saírem e disse que ia se matar”, contou a vizinha.

Família pede doações após ter pertences destruídos em incêndio (Foto: Yago Frota/Divulgação)

Família desabrigada

Na tarde desta sexta-feira, a equipe da REDE DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (RDC) encontrou a ex-mulher do carregador e dona da residência incendiada, a dona de casa Lídia Nascimento de Souza, 36, que prestou depoimento no 30º Distrito Integrado de Polícia (DIP), para onde José Ferreira foi levado.

A mulher contou que o suspeito ateou fogo na casa porque não aceitava o fim do relacionado de 6 anos deles. Desempregada e com quatro filhos, Lídia contou que não tem para onde ir com a família, nem o que comer e vestir. “Estou aqui e até agora não consegui pensar para onde ir. Perdemos tudo”, disse.

Qualquer pessoa que puder ajudar a família com alimentos, roupas ou outro tipo de ajuda, pode entrar em contato com a família pelo telefone (92) 98142-4990.